A outra eleição – Alex Medeiros

Por Merval Pereira – O Globo   Sobrou até para o pastor Everaldo. Ele vinha bem, ali entre 3% e…

Por Merval Pereira – O Globo

 

Sobrou até para o pastor Everaldo. Ele vinha bem, ali entre 3% e 4% das intenções de voto, e tinha planos de até dobrar essas intenções para se tornar um eleitor de peso no segundo turno da eleição presidencial. Veio o fenômeno eleitoral Marina Silva e tirou os votos evangélicos do pastor, um efeito colateral da verdadeira limpa que Marina fez, acrescentando nada menos que 20 pontos aos 9 que Eduardo Campos tinha na última pesquisa Ibope: Dilma e Aécio perderam 4 pontos cada; os candidatos nanicos perderam 3 pontos no seu conjunto; a taxa de votos nulos ou em branco caiu 6 pontos; e a de indecisos outros 3 pontos.

A questão parece ser que Dilma e Aécio se prepararam para uma eleição e estão disputando outra, que mudou radicalmente desde a morte de Campos, há 13 dias. Não atribuo esse crescimento de Marina à comoção popular, embora a morte trágica tenha dado a ela uma exposição nacional maior naqueles dias do que terá em toda a campanha eleitoral com os poucos minutos que tem de propaganda oficial.

Embora sejam números semelhantes, o crescimento do candidato Paulo Câmara em Pernambuco, nada menos que 18 pontos nos últimos dias, dando-lhe condições de aspirar a vencer a eleição para governador, nada tem a ver com os 20 pontos que Marina acrescentou à sua candidatura.

Em Pernambuco, a comoção com a morte de Campos e a politização proposital de seu enterro pela família, numa homenagem à sua memória política, se transformarão possivelmente na vitória do candidato que o ex-governador havia escolhido para sucedê-lo. Com relação a Marina, sua votação me parece fruto do despertar de um eleitorado que estava em busca de um candidato que se identificasse com o desejo de mudança registrado em todas as pesquisas.

Mudança, sobretudo, de relação política entre o Palácio do Planalto e o Congresso, e desse com os cidadãos-eleitores. A busca é tão clara que o candidato tucano Aécio Neves apareceu em pesquisas anteriores em empate técnico com a presidente Dilma num possível segundo turno, e hoje aparece perdendo por seis pontos, o que o coloca a dois pontos apenas desse empate, mesmo estando em terceiro lugar.

Já a candidata Marina Silva está a um ponto do empate técnico no primeiro turno com a presidente, e aparece na frente 9 pontos no segundo turno. Creio que se ela tivesse conseguido organizar seu partido, estaria desde o início disputando o segundo lugar com Aécio, e haveria mais tempo para que a escolha fosse feita de maneira racional, como propõem os tucanos.

A presidente Dilma montou toda sua campanha eleitoral no contraponto com o PSDB, tentando diluir seus fracassos nos 12 anos de governos petistas. Já Aécio Neves preparou-se para discutir os quatro anos de Dilma, e mostrar-se como a escolha segura para quem queria dar um fim aos anos de PT no poder. A mudança segura.

Enquanto seu contraponto era Eduardo Campos, ia no caminho certo, e tinha até condições de vencer num segundo turno – e continua tendo, como mostra a pesquisa Ibope,- mas agora está às voltas com uma concorrente que traz consigo a marca do novo, fantasiosa embora, pois Marina está na política há muito tempo, já foi vereadora, senadora, ministra de Estado, já esteve em três partidos diferentes (PT,PV e PSB) e prepara sua Rede para mais adiante.

Mas conseguiu, nesse tempo todo, manter-se fiel a seus princípios éticos na política, a ponto de dar a sensação a seus seguidores de que ela nunca esteve envolvida na política tradicional, que rejeita. Por isso, desconstruí-la será tarefa árdua para Dilma e Aécio.

É possível que boa parte da base aliada da presidente comece a debandar, em busca de salvar-se na candidatura Aécio, se a vitória de Marina no segundo turno deixar de ser uma “onda que vem e vai” para se transformar em uma possibilidade real.

Esses partidos só estão com Dilma por que consideravam inevitável sua vitória, e devem estar lamentando não terem desertado antes, como fizeram alguns setores do PMDB, do PP, do PTB. Mas talvez aí seja tarde demais para reverter a situação que se desenha no horizonte. (MP)

Pesquisa

Nos novos números da Consult, a vantagem de Henrique Alves sobre Robinson Faria caiu de 14 pontos para 9. O resultado está sendo comemorado no PSD como tendência de virada, enquanto no PMDB aposta-se que não há tempo suficiente para tal coisa.

Pesquisa II

Nessa quinta-feira estava previsto a divulgação de mais uma rodada do Ibope no RN, pela InterTv. Alguns profissionais da campanha de Henrique falavam em doze pontos de vantagem, repetindo o que supostamente foi aferido sábado em pesquisa interna.

5 x 1

O PT fez um alinhavado danado para não se coligar com o PSD na disputa proporcional para deputado estadual. Agora a pesquisa Consult mostra que quatro candidatos pessedistas estão na frente do petista mais citado, o atual deputado Fernando Mineiro.

Nominata PSD

Segundo os números da pesquisa, os candidatos Amazan, Dison, José Dias e Major Fernandes superam o petista melhor colocado, e ainda há o médico Galeno empatado com ele. Outro nome que pode ultrapassar Mineiro é Cristiane Dantas, do PCdoB.

Deputado Federal

O candidato à reeleição Fábio Faria (PSD) lidera a preferência popular na nova pesquisa do Instituto Consult divulgada pela rádio 98 FM e pelo blog de Bruno Giovanni. Seguido por Walter Alves, Felipe Maia, Sandra Rosado, Zenaide Maia e Rafael Motta.

Federal do PT

As análises de alguns dirigentes petistas apontam para uma disputa entre Adriano Gadelha e Eraldo Paiva para a manutenção da cadeira de Fátima Bezerra na Câmara Federal. Mas a Consult revela que Hugo Manso segue como o mais votado do PT.

Babaquice

A hipocrisia petista supera o ridículo. Patrulha Marina Silva num deslize verbal, como se tal coisa não fosse uma constante em Luiz Inácio. O poeta Chico Tripa retrucou: “A crítica é chula / que importa que Marina PERDA / se o POBREMA maior é Lula”.

Deputada estadual

A dedicação por décadas a fio da médica Sônia Godeiro pela melhoria do sistema público de saúde no RN anula toda e qualquer crítica dirigida aos seus conceitos ideológicos e à militância no Psol. Sua abnegação legitima a candidatura a deputada.

Eleição

Os médicos José Rosendo e Marcelo Cascudo estão sendo eleitos, praticamente por aclamação, como os novos presidente e vice-presidente da Associação Médica do RN, onde concorrem com chapa única. A votação se iniciou às 8h e segue até 18h.

Furacão branco

Nas décadas de 1980 e 1990, a cantora australiana Kylie Minogue atraiu multidões de marmanjos e vendeu muitos DVDs por causa do título de “bumbum mais belo” entre as beldades da pop music. Agora, uma nova cantora do paraíso da Oceania, de apenas 23 anos, destrona a quarentona. Seu nome é Amethyst Amelia Kelly, famosa como Iggy Azalea, e desde garotinha mora nos EUA. Com um corpão escultural e uma anatomia posterior de arrepiar, a cantora rapper e modelo estourou em 2011 e em abril último lançou seu primeiro álbum, The New Classic, sucesso de vendas.

Compartilhar: