Maternidade das Quintas: pacientes correm risco de infecções por falta de material

A cada 30 minutos, uma técnica de enfermagem precisa esvaziar manualmente a bexiga da paciente, o que também pode causar lesões

Maternidade vem enfrentado problemas com a falta de material de trabalho. Foto: Divulgação
Maternidade vem enfrentado problemas com a falta de material de trabalho. Foto: Divulgação

Uma situação de risco está sendo enfrentada na Maternidade das Quintas na tarde desta quarta-feira (14). Uma paciente, que deu à luz no começo da tarde por cesariana, precisa ficar deitada por 12 horas, repousando por causa da anestesia. Até aí, procedimento normal. O problema é que desde ontem (13) a maternidade encontra-se sem coletor de urina para a sonda, o que pode representar risco de infecções para a paciente.

Os servidores da unidade informaram que, devido à falta dessa bolsa coletora de urina, a cada 30 minutos uma técnica de enfermagem precisa esvaziar manualmente a bexiga da paciente. “A sonda por si só já é uma porta de entrada para infecções. A retirada manual da urina, além disso, ainda pode lesionar o órgão, já que ninguém sabe ao certo a quantidade que precisa ser expulsa do corpo”, explica Célia Dantas, diretora do Sindsaúde-RN.

Há informações de que uma segunda cesárea pode ser realizada ainda hoje na maternidade. Se a direção não conseguir um coletor de urina emprestado de outra unidade, a próxima paciente precisará passar pelo mesmo problema.

Compartilhar: