Padre é detido por embriaguez após bater carro em repartição pública

Padre de 31 anos foi detido após bater o carro que dirigia contra o portão da Secretaria Municipal de Educação

Veículo conduzido por padre ficou danificado após colisões. Foto: Divulgação
Veículo conduzido por padre ficou danificado após colisões. Foto: Divulgação

Um padre de 31 anos foi detido pela Guarda Municipal de Nova Odessa, na madrugada de anteontem, após bater o carro que dirigia contra o portão da Secretaria Municipal de Educação, na Avenida Carlos Botelho, e também contra uma árvore, além de atravessar um trecho da avenida de ré. P.H.D. admitiu ter ingerido bebida alcoólica e foi levado até o plantão policial, onde foi registrado um boletim de ocorrência de embriaguez ao volante.

O veículo, que pertence à Diocese de Amparo, ficou retido na Delegacia de Nova Odessa e foi entregue ontem, às 11h, ao padre, após a realização de perícia.

O caso ocorreu por volta de 1h45, quando guardas municipais foram acionados por um vigia terceirizado, que trabalha no prédio da secretaria, mas não foi qualificado no boletim de ocorrência. Segundo o relato do vigia à GM, o veículo conduzido pelo padre bateu duas vezes contra o portão da Secretaria de Educação, mas não causou danos. Em seguida, o padre deu ré no carro e acabou batendo contra uma árvore. Ele ainda foi um pouco para frente com o carro e voltou novamente de ré, atravessando a Avenida Carlos Botelho. Depois disso, estacionou o veículo, um HB20, em frente a um ponto de ônibus. O vigia contou que foi até o local e impediu o padre de sair com o veículo para que não causasse nenhum acidente.

Os guardas chegaram ao local e levaram o acusado até o plantão policial, que fica na mesma avenida. Natural de Mogi Guaçu e morador em Holambra, onde atua há cerca de um ano na Paróquia Divino Espírito Santo, o padre autorizou a coleta de sangue para a realização do exame de dosagem alcoólica, cujo resultado ainda não ficou pronto. Devido ao estado em que o pároco se encontrava na madrugada de anteontem, o veículo não foi liberado pelo delegado plantonista Robson Gonçalves de Oliveira.

Segundo apurou a reportagem do LIBERAL junto à fontes policiais, o padre mal conseguia andar e não tinha condições de dirigir quando foi detido pela GM. “Foi tudo um mal entendido”, minimizou o pároco ao LIBERAL, na manhã de ontem, quando foi à delegacia vestido com uma camisa Clergyman – que é usada por sacerdotes e apresenta uma gola especial – e acompanhado de um amigo para retirar o veículo e entregar documentos exigidos pela Polícia Civil.

O padre disse que veio à região para visitar a mãe, que mora em Americana, e na noite de terça-feira havia ido a uma pizzaria, em Nova Odessa, e tomado vinho. Ele argumentou que toma remédios e que o medicamento teria causado o mal estar. P. ainda ressaltou que ficou hospedado em um hotel na mesma avenida até melhorar e que antes de bater o carro já pretendia fazer isso.

De acordo com informações policiais, o interior do veículo estava bastante bagunçado e havia uma garrafa de vinho dentro. A polícia não soube informar se a garrafa estava cheia ou vazia. O carro ficou no estacionamento da delegacia, mas o padre o trancou e levou as chaves. Um inquérito será aberto pela Polícia Civil de Nova Odessa para apurar o caso.

 

 

Fonte: O Liberal

Compartilhar:
    • Marilda Simionato

      Todos os fatos estão completamente distorcidos!!!Como podem usar uma manchete desta para vender jornal e difamar pessoa digna, boa, como ele. Por isso, cuidado com que vocês leem, cuidado inclusive om o que eu estou escrevendo, mas principalmente apurem os fatos antes de difamar uma pessoa.
      .

    Publicidade