Padre investigado por “pedofilia” é afastado pela Arquidiocese para ‘se tratar’

Casa paroquial informou que ele não aparece em Pitimbu há mais de uma semana. Suposta vítima, hoje de maior, teria vindo da Europa para denunciar

54y45y4y4y45y

A Delegacia Seccional do Litoral Sul da Paraíba abriu investigação criminal contra o padre Jaildo Souto que foi denunciado nessa quarta-feira (19), por crime de pedofilia. O ‘termo de declaração’ foi registrado na delegacia da cidade de Pitimbu (na região metropolitana de João Pessoa, a 64 quilômetros da Capital), pelo delegado Elias José Rodrigues Silva. A informação foi confirmada pelo delegado Aneilton Castro, que está apurando a denúncia feita pela suposta vítima e pela mãe dela.

A assessoria de imprensa da Arquidiocese da Paraíba confirmou ao Portal Correio o afastamento do padre Jaildo Souto, da Paróquia Nossa Senhora da Penha de França, de Taquara, em Pitimbu. No entanto, informou que o afastamento foi motivado “por problemas de saúde”.

Para o delegado, as suspeitas que recaem sobre o religioso são fortes. “Tudo indica que se trata de um crime de pedofilia. É um caso complexo e vamos investigar detalhadamente, tendo em vista que envolve um representante da Igreja Católica. O inquérito criminal contra ele foi instaurado e temos 30 dias para encerrar, podendo esse prazo ser estendido”, disse Aneilton Castro.

Conforme consta no ‘termo de declaração’ do jovem, que hoje está com 21 anos, o primeiro contato sexual com o padre teria ocorrido em 2008, quando residia em Pitimbu. Ele era menor de idade e o sacerdote teria lhe oferecido “bens valiosos em troca de carícias”.

“Eu residia no distrito de Acaú, em Pitimbu, e conheci uma pessoa pelo MSN, onde as conversas eram intencionais, com relação à sensualidade e ao sexo. Quatro meses depois, quando comecei a frequentar a igreja, o padre se apresentou dizendo que era a pessoa com quem conversa no MSN. No mesmo instante, fui convidado pelo padre a ir até uma igreja de Pernambuco e, mesmo de menor, dirigi o carro. Daí, a gente terminou dormindo em um motel, culminando com a relação sexual, porque ele dizia que me daria algo em troca”, disse o jovem.

Segundo as informações repassadas à polícia, o rapaz que diz ter sido vítima de abusos estaria morando na Europa e veio à Paraíba apenas para denunciar o caso. Conversas por redes sociais e aplicativos de mensagens comprovariam a ligação entre ele e o padre.

O Portal Correio ligou várias vezes para o padre, tentando um contato telefônico. Na casa paroquial, em Pitimbu, a informação repassada é de que o ele não aparece por lá há mais de uma semana. Também foi confirmado o afastamento do religioso de suas funções na Igreja Católica “para tratamento de saúde”, conforme divulgou a assessoria de comunicação da Arquidiocese.

Apesar do fato ter ocorrido em 2008, o delegado disse que, se for comprovado, o crime não prescreve. “Como o caso ocorreu quando o rapaz era menor de idade, o fato não prescreveu. O crime só passa a ter contagem da prescrição a partir do 18 anos”, afirmou.

 

Fonte: Portal Correio

Compartilhar:
    Publicidade