Pai reencontra filha de 2 anos em delegacia após sequestro

Os criminosos levaram a menina por engano ao roubar o carro do pai na zona norte

A menina de 2 anos estava calma na delegacia, ao contrário do pai. Foto: Divulgação
A menina de 2 anos estava calma na delegacia, ao contrário do pai. Foto: Divulgação

Criminosos renderam um motorista na avenida Brasil, na zona norte do Rio, na noite de quinta-feira (22), e roubaram o carro dele, sem perceber que a filha da vítima, de 2 anos, estava dormindo no banco de trás. O pai foi colocado em outro veículo e ficou em poder dos sequestradores por duas horas, até que o bando desistiu do crime.

Márcio Carlos de Oliveira e a filha foram abandonados em pontos diferentes da cidade e se reencontraram na Delegacia de São Cristóvão (17ª DP). A menina recebeu ajuda de moradores da região do Caju, na zona portuária, para chegar até lá. Ela foi encontrada no carro roubado assistindo a um desenho animado no DVD do automóvel.

Ainda nervoso, o pai falou com a imprensa sobre as horas de tensão viveu.

“Foi horrível. A polícia está fazendo um belo trabalho. Graças a Deus a minha filha está sã e salva. Minha preocupação era mais com a minha filha. Fiquei mais ou menos umas duas horas. Eram violentos. Eles diziam que qualquer reação minha iriam me matar, matar minha filha”.

O sargento da Polícia Militar Henridson Lopes, que ajudou Oliveira após o crime, comentou que o reencontro entre pai e filha foi comovente.

“Foi bastante emocionante, não só para ele como para nós que somos policiais militares, porque alguns são pais. Outros, apesar de não serem, viram a cena. E foi uma cena muito emocionante”.

Os criminosos ainda não foram identificados e presos.

Sequestro-relâmpago

Márcio Oliveira saiu de casa com a filha na noite de quinta com a intenção de buscar a mulher dele em uma estação de metrô em Bonsucesso, na zona norte. O motorista foi abordado pelos criminosos perto do encontro entre a avenida Brasil e a linha Amarela.

Conforme contou na delegacia, Oliveira viu os bandidos levarem o carro com sua filha e foi colocado em outro veículo. Os sequestradores tinham a intenção de percorrer agências bancárias com a vítima para realizar saques.

O integrante da quadrilha que levou o carro de Oliveira ligou para as comparsas e combinou de abortar o crime, depois de descobrir que havia uma criança dentro. 

Fonte: R7

Compartilhar: