Papa Francisco não esconde lado torcedor e populariza o time do coração

Pontífice é torcedor do San Lorenzo, da Argentina, e já apareceu várias vezes com a camisa do clube

Papa Francisco é torcedor do San Lorenzo. Foto:Divulgação
Papa Francisco é torcedor do San Lorenzo. Foto:Divulgação

Passado um ano desde início do papado de Francisco, o pontífice tem sido elogiado pelas demonstrações de simplicidade, o contato mais direto e “humano” com os fiéis e por ensaiar uma abertura na Igreja. Em sua Argentina natal, porém, o Papa vai além. Quando se trata de futebol, dizem que não adianta rezar, afinal “Deus não tem time”. Mas o papa tem. E fez questão, ao longo deste primeiro ano como líder da igreja, de deixar isso bem claro. Manteve-se fiel e transformou-se em uma espécie de embaixador de seu time de futebol, o San Lorenzo, que viu a popularidade disparar graças ao torcedor famoso.

O sacerdote argentino enviou carta aos dirigentes do clube e recebeu torcedores, jogadores e também a direção do time em diferentes ocasiões.

No mês passado, Francisco esteve com um grupo da torcida organizada da equipe e teria dito que deseja participar da arrecadação de recursos para reconstruir o estádio do San Lorenzo em seu terreno original, no bairro de Almagro, em Buenos Aires.

O estádio fora expropriado na época da ditadura militar. Hoje, em seu local original funciona um supermercado.

“O papa se ofereceu para doar 2.888 pesos (R$ 860) para comprar o equivalente a um metro quadrado do terreno. Precisamos de 100 milhões de pesos (R$ 29 milhões) e já temos a metade”, disse à BBC Brasil Marcelo Culotta, que faz parte de um grupo de torcedores-sócios ligados ao comando do clube.

Em uma carta enviada ao presidente do San Lorenzo, Matías Lammens, o papa agradeceu pelo recebimento de uma camiseta oficial, azul e vermelha: “Peço ao nosso senhor que lhe retribua generosamente essa delicadeza. Tive boas lembranças (ao receber o presente), começando desde a minha infância. Acompanhei, aos dez anos, o glorioso torneio de 1946. Aquele gol de Pontoni!”.

A carta foi publicada no site oficial do clube e confirmada por Lammens, segundo a imprensa local. Na missiva, o papa disse ainda: “Saibam que não esqueço de vocês”.

Na ocasião em que o San Lorenzo saiu campeão argentino, ano passado, a imprensa italiana publicou que o papa teria dito: “San Lorenzo campeão? Que alegria!”

Na praça San Pedro, diante de uma multidão, o papa disse no dia 17 de dezembro do ano passado. “Uma saudação especial à equipe do San Lorenzo, que saiu campeão domingo passado e que veio trazer a taça aqui”, disse ele, sendo aplaudido pelos fiéis.

O San Lorenzo não conquistava o título nacional desde 2007.

Mais torcedores

No clube, atribuem ao pontífice o fato de o time, que estava ameaçado de cair para a segunda divisão, ter sido campeão do torneio nacional de 2013, segundo disseram auxiliares do clube, torcedores e ex-jogadores.

Acredita-se também que aumentou a quantidade de torcedores da equipe na Argentina e na Itália desde que veio a público a informação de que o San Lorenzo é o time do santo padre.

No clube – fundado em 1908 por um grupo de jovens incentivados por um padre –, afirma-se ainda que o goleador do time, Angel Correa, é “abençoado” porque fez a primeira comunhão com Bergoglio, quando ele era sacerdote na igreja de São José de Flores, na cidade de Buenos Aires.

“Virou uma febre. É impressionante. Aqui atribuem a ele muitas das coisas boas que ocorrem no nosso time. Ele deu mais prestigio e repercussão mundial ao nosso clube”, disse, por telefone, o ex-jogador Omar Garcia Higinio, de 76 anos, que jogou no San Lorenzo em 1959.

Os mais céticos no próprio clube afirmam que outros fatores ajudaram a equipe a ter melhores resultados no ano passado.

“Quando o time não estava bem saímos pelo país com um ônibus, o ‘cuervo movel’ (corvo, animal que o simboliza) para estimular a chegada de novos sócios. Tudo bem que o ônibus tinha imagens do papa, mas houve também um trabalho da direção do clube. E a nova direção inclui um apresentador popular e carismático no país”, disse um dos integrantes do clube, que pediu o anonimato.

‘Mão do papa’

Na visita que fizeram ao papa após a vitória do San Lorenzo, em dezembro, o presidente do time, o vice-presidente, o popular apresentador da televisão argentina Marcelo Tinelli e o goleiro Sebastian Torrico entregaram ao papa uma réplica do troféu do campeonato e as luvas usadas no jogo da final.

“A mão de Deus e do papa”, publicou o jornal esportivo Olé. Na partida decisiva contra o Vélez Sársfield, Torrico defendeu uma bola nos segundos finais do segundo tempo e o empate, por 0 a 0, levou o time do papa a sair vitorioso do campeonato.

Segundo a assessoria de imprensa do San Lorenzo, o papa guardaria as luvas de Torrico em uma cristaleira com outros presentes de futebol, no Vaticano. Antes de ser papa, Francisco já tinha realizado uma missa no clube e, já durante o pontificado, mantém carteirinha e camiseta oficial do time.

“Temos uma carta dele, escrita a mão, de quando ainda não era papa, mas falando sobre nosso trabalho social da torcida organizada”, disse Culotta. Atualmente, na Argentina ex-secretárias, ex-vizinhos e amigos do papa passaram a colecionar suas cartas, escritas à mão e enviadas do Vaticano.

Fonte:IG

Compartilhar: