Passagens aéreas compradas no Brasil estão entre as mais caras do mundo

Na comparação com os países das Américas, Brasil é o 2º país mais caro para se comprar uma passagem aérea

O aeroporto do Galeão no Rio de Janeiro. Foto: Divulgação
O aeroporto do Galeão no Rio de Janeiro. Foto: Divulgação

Um levantamento do site de buscas Skyscanner demonstra o que muitos brasileiros já sentem no bolso na hora de viajar: as passagens aéreas compradas no país saem mais caro do que em muitos outros países do mundo. Na comparação com os valores de passagens aéreas para 53 países de todos os continentes, o Brasil fica em 13º, com uma média de R$ 0,53 por quilômetro voado. Entre as Américas, só os colombianos pagam mais por seus bilhetes aéreos: R$ 0,74 por quilômetro a bordo. No mundo, a Hungria é o país com bilhetes mais caros: R$ 1,47. Um fato que ajuda a explicar essa disparidade é a falência da companhia aérea húngara, Malev, que deixou de voar em 2012. Todos os países asiáticos pagam menos para voar do que os brasileiros. Nos países do Oriente Médio, só os israelenses desembolsam mais por suas passagens aéreas.

Em termos relativos, comparando os valores com o poder de compra dos passageiros de cada país, o Brasil tem a 5ª passagem mais cara do mundo – cada cem quilômetros voados comprometem 0,61% da renda per capita. O bilhete entre o Rio de Janeiro e Lisboa, por exemplo, compromete quase 18% da renda mensal do brasileiro. Os filipinos são os que gastam mais de sua renda com passagens aéreas: cada cem quilômetros equivalem a 1,65% de sua renda per capita, mais do que o dobro no Brasil. Em termos absolutos, porém, as passagens nas Filipinas são as mais baratas entre os países pesquisados: custam menos de R$ 0,20 por quilômetro voado, mesmo valor praticado em Cingapura.

A impressão geral de que viajar para destinos brasileiros é mais caro do que para o exterior é reforçada pelos dados da pesquisa do Skyscanner. Enquanto a média de bilhetes para o exterior é de R$ 0,43 por quilômetro voado para o exterior o número chega a R$ 0,67 – valor 55% mais caro.

O impacto da concorrência também é analisada no mercado. No caso dos voos domésticos brasileiros, quando somente uma companhia aérea cobre a rota desejada, o valor por quilômetro chega a R$ 0,80. Quando há concorrência entre duas empresas pela mesma rota, o preço da passagem cai pouco, para R$ 0,79. Se há três companhias aéreas fazendo o mesmo trajeto, o impacto é grande: a média por quilômetro voado cai para R$ 0,63.

No caso dos voos internacionais, quando somente uma empresa opera a rota, a média de preço por quilômetro é R$ 0,51. Quando há duas, R$ 0,47. Se há três e quatro aéreas, o preço por quilômetro R$ 0,43. No raro caso de cinco companhias aéreas operarem o mesmo trecho internacional, o valor por quilômetro cai a R$ 0,41.

Fonte: O Globo

Compartilhar: