Pastor simula ter sido sequestro para tentar ocultar traição conjugal

Segundo a Polícia Civil, ele acabou confessando que simulou o sequestro pois mantinha uma relação extra conjugal e precisaria justificar o atraso para chegar em casa

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Um pastor evangélico confessou ter simulado o próprio sequestro para justificar o atraso ao chegar em casa e acobertar uma relação extra conjugal. O caso ocorreu nesta sexta-feira em Joaçaba, no oeste de Santa Catarina.

De acordo com a Polícia Civil, João Emílio Andrade, 43 anos, foi localizado dentro do porta malas de seu carro, com uma sacola na cabeça e os pulsos amarrados com uma gravata. Em um primeiro depoimento, ele disse que teria sido sequestrado por dois homens encapuzados ao deixar um trabalho voluntário. Contou ainda ter conseguido acionar o celular para pedir socorro a um amigo, que chamou a polícia.

Depois de ser “resgatado” às margens da BR 282, o pastor prestou depoimento na Divisão de Investigação Criminal (DIC) da Polícia Civil e chegou até mesmo a conceder entrevistas a veículos de imprensa da cidade para falar sobre o caso. O homem informou à polícia que o “sequestro” seria uma retaliação pelo seu trabalho comunitário de combate às drogas, mas acabou entrando em contradição.

Segundo a Polícia Civil, ele acabou confessando que simulou o sequestro pois mantinha uma relação extra conjugal e precisaria justificar o atraso para chegar em casa.

O pastor foi indiciado por falsa comunicação de crime, uma vez que cinco viaturas e dez policiais foram mobilizados para tentar “resgatá-lo”. Ele assinou um termo circunstanciado e foi liberado.

Fonte: Terra

Compartilhar: