Paulo Wagner nega ter pedido aposentadoria, mas Câmara prova com documentos

Segundo fontes do JH, Paulo não teria apresentado uma série de exames médicos solicitados pela junta da Casa Legislativa

7I67I6IO65I6I67I6I

O deputado federal Paulo Wagner, do PV, não está tentando se aposentar por invalidez na Câmara Federal. Bom, pelo menos, é isso que afirmou a assessoria de imprensa do parlamentar, em contato com O Jornal de Hoje. O problema é que o JH teve acesso a documentos da Casa Legislativa federal que confirmaram, justamente, o contrário. O parlamentar pediu sim, a aposentadoria.

“A informação não procede. O deputado Paulo Wagner não pretende deixar a política e é sim candidato este ano”, afirmou a assessoria de imprensa, desmentindo, inclusive, informação veiculada no ano passado, pelo colega de partido de Wagner, Luiz Almir, que seria lançado candidato a deputado federal porque o parlamentar, hoje em Brasília, estava com problemas de saúde e precisando ficar mais tempo no RN.

E não foi só. A informação da assessoria de imprensa, além de confrontar a informação de Luiz Almir, confronta, também o que disse e documentou o próprio Paulo Wagner junto a Câmara Federal. O Jornal de Hoje, inclusive, teve acesso a um dos documentos, referente ao processo número 2011/002148, que tem como interessado o deputado federal Paulo Wagner e tem como assunto o “Requerimento Opção Previdenciária”.

O motivo da doença que justificou o pedido de aposentadoria não foi divulgado, mas fontes ligadas ao JH afirmam que seria um problema nos rins. “O senhor deputado Paulo Wagner é portador da patologia elencada na Lei nº 9.506, de 1997, art. 2º, inciso I, alínea ‘a’”, atestaram os médicos em parecer enviado para a Câmara Federal.

Nesse caso, o artigo 2º afirma que “o Senador, Deputado Federal ou suplente que assim o requerer, no prazo de trinta dias do início do exercício do mandato, participará do Plano de Seguridade Social dos Congressistas, fazendo jus à aposentadoria: I – com proventos correspondentes à totalidade do valor obtido na forma do § 1º: a) por invalidez permanente, quando esta ocorrer durante o exercício do mandato e decorrer de acidente, moléstia profissional ou doença grave, contagiosa ou incurável, especificadas em lei”.

Sendo assim, Paulo Wagner terá direito aos vencimentos integrais de deputado federal, ou seja, cerca de R$ 27 mil mensais e mais o plano de saúde vitalício, mesmo com o fato da doença ter se manifestado em junho de 2011, apenas cinco meses depois do, também, apresentador de televisão começar seu primeiro mandato na Câmara Federal.

Contudo, se tem esses documentos, fez o requerimento e é aliado do presidente da Câmara Federal, o deputado Henrique Eduardo Alves, do PMDB, a quem já garantiu apoio na disputa pelo Governo do Estado, por que Paulo Wagner ainda não se aposentou? Porque, segundo fontes do JH, não teria apresentado uma série de exames médicos solicitados pela junta da Casa Legislativa.

PEC

Coincidência ou não, o deputado federal Paulo Wagner se manifestou, recentemente, de forma favorável a Proposta de Emenda à Constituição 170/2012 (PEC 170), de autoria da deputada federal Andreia Zito (PSDB-RJ), que garante proventos integrais aos servidores públicos aposentados por invalidez permanente, independentemente do tipo de doença. Segundo o parlamentar, a matéria merece ser defendida e aprovada na Câmara Federal.

“Espero que essa PEC, vá, imediatamente, para julgamento na Câmara, porque vou estar lá não só para votar, mas fazendo pressão e dizendo aos meus ilustres colegas para votar a favor dos aposentados por invalidez porque eles precisam”, afirmou Paulo Wagner, por meio do programa de rádio e que pode ser encontrado, facilmente, na internet.

Na semana passada, a PEC recebeu relatório com parecer favorável, na forma do Substitutivo apresentado pelo relator, deputado Marçal Filho. “Eu não acredito, mesmo, que um deputado votado pelo povo e que sabe que cada casa em um deputado aposentado por invalidez, vote contra”, afirmou Paulo Wagner. (CM)

Compartilhar:
    Publicidade