Paulo Wagner solicitou aposentadoria, mas confirma candidatura à reeleição

Paulo Wagner notabilizou-se a partir de programas policiais que apresentou em várias emissoras de televisão em Natal

Foto: Heracles Dantas
Foto: Heracles Dantas

Mesmo de licença médica pela Câmara Federal para tratamento de saúde (problemas coronarianos e hérnea), o deputado federal Paulo Wagner está participando dos eventos político/partidário do seu partido, o PV. No final de semana ele esteve na Assembleia Legislativa acompanhando a convenção que oficializou a aliança com o PMDB, o apoio à candidatura de Henrique Eduardo Alves para governador e a homologação da chapa proporcional que terá vários candidatos a deputado estadual e federal nas eleições de outubro.

Paulo Wagner disse que entrou com um pedido de aposentadoria na Câmara Federal e está aguardando a decisão médica, mas enquanto o assunto não é resolvido decidiu registra sua candidatura à reeleição, segundo ele, com chances reais de vitória, já que nomes como Henrique Eduardo Alves, do PMDB, Fátima Bezerra, do PT e João Maia, do PR, não disputarão mais a Câmara Federal, segundo ele, descongestionando a disputa. Henrique Alves é candidato a governador, Fátima Bezerra, do PT, disputa o Senado e João é o companheiro de chapa do peemedebista na condição de candidato a vice-governador.

O deputado Paulo Wagner, disse ao analisar o processo sucessório, que Henrique Eduardo Alves é o nome que reúne mais condições de governar o Estado e tirá-lo da situação de dificuldades em que se encontra. Questionado sobre sua expectativa sobre a posição de Rosalba Ciarlini na eleição deste ano, o deputado do PV entende que a alternativa mais correta por parte da governadora deveria ser apoiar o candidato do PMDB, já que segundo ele, houve apenas um afastamento programático do candidato peemedebista com o seu governo. “O apoio de Rosalba será importante para qualquer candidato”, disse Paulo Wagner.

TRAJETÓRIA POLÍTICA

Paulo Wagner notabilizou-se a partir de programas policiais que apresentou em várias emissoras de televisão em Natal. Na sua primeira tentativa elegeu-se vereador e em seguida deputado federal, beneficiado pela atual legislação eleitoral que dependendo do partido e da coligação permite que o candidato seja eleito mesmo tendo menos votos do que seus concorrentes. Paulo Wagner foi eleito deputado federal na última eleição com pouco mais de 50 mil votos, enquanto Rogério Marinho ficou de fora, mesmo obtendo mais de 100 mil votos. (JP)

Compartilhar:
    Publicidade