Paulo Wagner ‘trabalha duro’ para ter aposentadoria de R$ 27 mil por invalidez

Aposentadoria garantirá ao deputado federal do PV, além do salário, um plano de saúde vitalício

paulo

Ciro Marques

Repórter de Política

O deputado federal Paulo Wagner, do PV, tem trabalhado, e muito, nos bastidores da política local. Porém, se engana quem pensa que esse esforço é articulando a votação de algum importante projeto que ele tenha apresentado recentemente. O parlamentar/apresentador de televisão está se esforçando é para conseguir a aprovação do pedido de aposentadoria por invalidez na Câmara Federal. Um pedido que garantirá a Paulo Wagner o salário de deputado federal e mais plano de saúde vitalício, sem precisar que ele continue realizando as cansativas viagens para Brasília e buscando, de quatro em quatro anos, a reeleição.

O “trabalho” de Paulo Wagner neste sentido, segundo informações de bastidores políticos, aumentou nas últimas semanas. Vislumbrando a reta final do mandato dele na Casa Legislativa, Wagner buscou conversar, pessoalmente, com o ministro da Previdência Social, Garibaldi Alves Filho (PMDB).

Antes, ele já havia solicitado apoio do presidente da Câmara, o também colega de bancada potiguar, Henrique Eduardo Alves (PMDB). Foi ao parlamentar peemedebista, inclusive, que Paulo Wagner apresentou o pedido de aposentadoria, oficialmente, no dia 8 de agosto de 2013. A informação foi confirmada pela Câmara Federal a reportagem d’O Jornal de Hoje.

E alguns meses depois, mesmo sem qualquer oficialização do presidente estadual do partido, o senador Paulo Davim, Wagner subiu no “pré-palanque” montado pelo PMDB, que confirmou a condição de Henrique Alves como nome lançado ao Governo do Estado neste ano.

Na oportunidade, além de ficar ao lado de Henrique, Paulo Wagner se aproximou de Garibaldi Filho, e tentou “agilizar” o trâmite, buscando também a aposentadoria via Previdência Social.

PATOLOGIA

O motivo da doença que justificou o pedido de aposentadoria não foi divulgado. Seja qual for, ela foi confirmada pelos médicos Jezreel Avelino da Silva, Marília Bonfim e Silva de Morais e Paulo Nery de Oliveira, após a análise de documentos. “O senhor deputado Paulo Wagner é portador da patologia elencada na Lei nº 9.506, de 1997, art. 2º, inciso I, alínea ‘a’”, atestaram os médicos em parecer enviado para a Câmara Federal.

Nesse caso, o artigo 2º afirma que “o Senador, Deputado Federal ou suplente que assim o requerer, no prazo de trinta dias do início do exercício do mandato, participará do Plano de Seguridade Social dos Congressistas, fazendo jus à aposentadoria: I – com proventos correspondentes à totalidade do valor obtido na forma do § 1º: a) por invalidez permanente, quando esta ocorrer durante o exercício do mandato e decorrer de acidente, moléstia profissional ou doença grave, contagiosa ou incurável, especificadas em lei”.

Sendo assim, Paulo Wagner terá direito aos vencimentos integrais de deputado federal, ou seja, cerca de R$ 27 mil mensais e mais o plano de saúde vitalício, mesmo com o fato da doença ter se manifestado em junho de 2011, apenas cinco meses depois do, também, apresentador de televisão começar seu primeiro mandato na Câmara Federal.

No entanto, Paulo Wagner terá que abrir da verba indenizatória da Câmara, que fez com que o parlamentar tivesse uma renda extra de cerca de R$ 30 mil por mês. Até para pagar refeições em restaurantes tradicionais de Natal, como Fogo e Chama e Sal e Brasa, o deputado utilizou a cota indenizatória. Com “divulgação da atividade parlamentar”, foram outros R$ 15 mil mensais pagos por Wagner com o dinheiro público para ressarcimento da Câmara.

HISTÓRICO

Eleito com menos de 50 mil votos, ou seja, “puxado” pela coligação que o PV integrou em 2010, Paulo Wagner havia conseguido, dois anos antes, ser o vereador mais votado de Natal, quando tinha um popular programa policial na TV Ponta Negra – que teve que deixar por conta do trabalho em Brasília. Em 2013, porém, já demonstrava o desejo de deixar a vida política de Brasília e, pelo menos, voltar para o trabalho na Capital do Estado.

Voltou à televisão (tem um programa atualmente na SimTV!) e confidenciou ao colega de partido, o vereador Luiz Almir, que não iria se candidatar a reeleição, justamente, por problemas de saúde. Desta forma, Almir seria o nome lançado pela sigla para ocupar a vaga de deputado federal. Essa situação, no entanto, ainda está incerta.

Compartilhar:
    • Marcus Cantidio

      esta nossa lei ele3itoral e uma verdadeira bosta,o sujeito com 50 mil votos entra no lugar de quem teve 100 mil votos, e depois alega que e o povo que elege,

    • Adailson Ananias

      Tenho vergonha de pronunciar o nome deste Deputado. Nosso Estado está enojado com estes tipos de políticos que enganam o povo, que por sua vez merecem os governantes ao qual elegeram. Deputado o Sr. me enoja, tenho vergonha de tê-lo como conterrânio.

    • Jailson Júnior

      Sabe de nada inocente

    • Diego Todesco Filho

      VOTEM NESSES VERMES…O POVINHO DESSE PAÍS MERECE OS POLÍTICOS QUE TEM. VIVA A DEMOCRACIA…VIVA OS ALVES, OS MAIAS, OS ROSADOS E TODOS QUE VEM NA SEQUÊNCIA. TEREMOS COPA, OBA !!!!!

    • Glaucio Galvão

      Parabéns pra ele e aos que votaram nele

    • Marcos Amorim

      Por que vcs acham que todo mundo quer um cargo destes?

    • gelson

      Isso é um desrespeito ao contribuinte e ao cidadão brasileiro que estão fazendo com o nosso dinheiro . Temos que criar mecanismos para acabar com essa aberração e prática para lesar os brasileiros