Pelé, videogame, churrasco… O que os hotéis vão oferecer às seleções na Copa

Além de pedir privacidade, países fazem exigências e ganham mimos dos locais onde se hospedarão na preparação para o Mundial no Brasil, que começa em 12 de junho

Vinte e sete cidades, de nove Estados diferentes, terão a missão de hospedar as 32 seleções classificadas para a Copa do Mundo no Brasil, com abertura em 12 de junho. Seja um CT de clube, hotel com clima de montanha ou resort à beira-mar, os locais foram selecionados pela Fifa e pagos pela Match, a agência de turismo da entidade – 83 opções de estadia recheavam um dossiê entregue aos participantes, que incluía os locais para treinos disponíveis. Deixar as instalações do agrado de jogadores e comissões técnicas também será uma competição à parte. Cada país faz suas exigências, seja uma melhoria de infraestrutura ou cuidados com a alimentação. A segurança é a principal precaução, com ordens expressas para que os funcionários não assediem os hóspedes. Um pedido, porém, é unânime: privacidade.

Grupo A – QG de Felipão e as boas-vindas de Pelé

Anfitrião da Copa, o Brasil escolheu a Granja Comary, o centro de treinamento da CBF, em Teresópolis, para se concentrar na busca pelo sexto título mundial. O local passou por reformas recentemente. Por jogar em casa, a ideia de Luiz Felipe Scolari é se refugiar na região serrana do Rio de Janeiro para se afastar de assédio. Em 2006, por exemplo, a badalação em cima dos jogadores da seleção em Weggis, na Suíça, foi apontada como um dos motivos do fracasso no Mundial da Alemanha.

Pelé foi "garoto-propaganda" de Santos Foto:Divulgação
Pelé foi “garoto-propaganda” de Santos
Foto:Divulgação

Já o maior jogador da história do Brasil virou chamariz para o México escolher sua sede. A federação local de futebol recebeu um material, impresso e em vídeo, da Prefeitura de Santos, na tentativa de abrigar a seleção na cidade. Além das praias e de poder usar o CT do Santos Futebol Clube, clube bastante admirado no país, Pelé foi escalado para ser uma espécie de anfitrião, enviando uma mensagem de boas-vindas. “Houve um trabalho muito forte para trazê-los para Santos”, resumiu Leandro Vilaça, gerente do Parque Balneário Hotel, onde os mexicanos se hospedarão.

A pedido do México, os quartos devem ser idênticos, sem diferenciações, por isso alguns dormitórios terão as configurações originais alteradas. “Jogador não pede muita coisa. Usa internet, TV a cabo e uma cama boa”, completou Vilaça, que planeja uma recepção especial aos hóspedes com um coquetel na cobertura do hotel.

Os outros adversários do Brasil na fase de grupos também se concentrarão no litoral. A Croácia optou pelo Tivoli Ecoresort Praia do Forte, em Mata do São João, na Bahia – funcionários do hotel não revelam detalhes sobre a hospedagem dos europeus. Já Camarões ficará no Sheraton Vitória, no Espírito Santo.

Grupo B – Os garotos de Ipanema


Jogadores da Holanda praticando futevôlei em Ipanema, em 2011
Foto:Divulgação

Quase um ano após o embate pelas quartas de final da Copa do Mundo de 2010, na África do Sul, Brasil e Holanda fizeram um amistoso no Serra Dourada (0 a 0). Antes de ir para Goiânia, os europeus se instalaram em Ipanema, no Rio de Janeiro. Após treinos na praia, alguns jogadores fizeram amizade com donos de barracas na areia, premiados com camisas da seleção. Como os holandeses ficarão no mesmo hotel daquela ocasião, o Caesar Park, o reencontro deve ser inevitável.

As outras duas forças do Grupo B optaram por centros de treinamentos de clubes com estrutura de hospedagem. Chile e Espanha ficarão nos CTs de Cruzeiro e Atlético-PR, respectivamente.

Azarões, os australianos escolheram o Hotel Ilha do Boi, em Vitória (ES). As exigências ficaram por conta da alimentação, com três tipos de carnes (vermelha, frango e peixe) e saladas variadas no cardápio. A seleção levará um cozinheiro próprio, mas que apenas dará aval aos alimentos preparados. “Eles não querem comida da Austrália, querem comida brasileira, porém dentro do conceito de saúde que trabalham”, explicou Ibraim Lança, gerente de operações do empreendimento.

Grupo C – Mudança de estratégia

Antes do sorteio dos grupos da Copa, a Grécia já tinha escolhido seu local para a preparação: Atibaia, a pouco mais de 60 quilômetros de São Paulo. Mas o chaveamento colocou os europeus jogando em Belo Horizonte, Natal e Fortaleza na primeira fase. Com isso, o técnico português Fernando Santos selecionou Sergipe para diminuir os deslocamentos. O grupo se hospedará no Radisson Aracaju.

Favorita do grupo, a Colômbia buscou o São Paulo Futebol Clube para usar a estrutura do CT Laudo Natel, em Cotia, onde ficam as categorias de base do clube. “A única coisa que eles nos pediram foi privacidade”, assegurou José Francisco Manssur, assessor da presidência e responsável pela negociação com os sul-americanos. Já Costa do Marfim e Japão terão Águas de Lindóia (Oscar Inn, hotel do ex-zagueiro Oscar Bernardi) e Itu (Spa Sport Resort) como casas.

Grupo D – Cavalos e pão de queijo


No Rio para a Copa das Confederações de 2013, jogadores da Itália curtem dia de folga na praia
Foto:Divulgação

A paradisíaca Mangaratiba, no Rio de Janeiro, será a casa da Itália na Copa. No Portobello Resort & Safári, os tetracampeões mundiais treinarão em dois campos com grama do tipo Tift Way, elaborada em laboratório para esportes de alto impacto. Perto do local, no entanto, há uma cocheira. Para evitar problemas, foi pedido para que os cavalos fossem retirados durante a estadia da seleção.

A Inglaterra também ficará no Rio de Janeiro, no Royal Tulip. Mais do que agradar aos jogadores, o empreendimento tenta passar imagem melhor à imprensa inglesa, que fez duras críticas às instalações, pela proximidade com a favela da Rocinha e por um esgoto a céu aberto nas proximidades. “Desde que compramos o hotel, há dois anos, fizemos uma série de investimentos. Em relação à favela, nem é tão próximo, mas tem uma vista privilegiada. O Rio é a Cidade Maravilhosa e estamos localizados em São Conrado, o maior PIB da cidade. Aposto que eles vão gostar muito da estadia”, defendeu-se Paulo Michel, gerente regional do hotel.

O Uruguai preferiu o refúgio em Sete Lagoas, Minas Gerais. No JN Resort, além de um espaço para fazer churrasco, os sul-americanos terão novidade no cardápio. “Quanto à alimentação, claro que os uruguaios não viveriam sem a parrilla, então faremos para eles. Acredito que seja tranquilo, já que gostaram muito de nossa comida, adoraram o pão de queijo”, destacou a gerente geral Luciene Pires. O hotel precisou de mudanças de estrutura, como a troca de camas de solteiro para casal e a montagem de uma academia profissional.

A Costa Rica fez a mesma escolha do México e ficará em Santos, no Mercure Hotel.

Grupo E – Bebida temática, fumacê e sabonete próprio


Ribery e companhia terão produtos exclusivos de higiene pessoal
Foto:Divulgaçãp

Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, abrigará a seleção francesa, que escolheu a cidade antes mesmo de eliminar a Ucrânia na repescagem europeia. O Hotel JP será de uso exclusivo da seleção, o que deve facilitar o esquema de segurança. “Como não tem check in nem check out, vamos trabalhar com o mínimo de pessoas possível. Dos 110 funcionários, até 40 devem tirar férias”, explicou Luciana Marotta Guimarães, gerente comercial do empreendimento.

Como o local será controlado pelos franceses no período de estadia, os funcionários serão identificados e a circulação de pessoas, controlada. “Não se pede nada para os jogadores, o uso de celular é proibido. Não querem camareira circulando pelos corredores, vai ter horário para limpar os quartos…”, completou Luciana. Outro item que será exclusivo é a higiene pessoal. Um patrocinador da seleção europeia vai ceder xampus, sabonetes e outros produtos para uso nos quartos. Antes desse acordo, porém, havia sido feito um pedido para que os sabonetes em barras fossem substituídos pela versão líquida.

Cabeça de chave do Grupo E, a Suíça optou por Porto Seguro, no litoral da Bahia. Mesmo não sendo acostumados ao calor, eles pretendem aproveitar a brisa do mar para se refrescarem, por isso pediram para que ambientes comuns, como o restaurante, fiquem com o ar-condicionado desligado. O hotel também fará reforço de uma dedetização natural, chamada fumacê, para que os hóspedes não sejam importunados por insetos. “Vale a pena a experiência (de receber um país que jogará o Mundial). No curto prazo não vamos lucrar, mas é uma experiência fantástica para os 300 funcionários e a diretoria fazer parte da Copa. Agora a gente percebe o quanto um local de treino é importante para uma seleção”, resumiu Luigi Rotunno, diretor do Resort La Torre.

Como o hotel servirá também como centro de mídia, haverá uma estrutura via satélite para que os quartos dos jogadores sintonizem canais de TV da Suíça.

O Equador será a única seleção a se hospedar no Rio Grande do Sul: no Vila Ventura, em Viamão. A fim de fazer o time se sentir em casa, o local vai apostar em decoração temática e até em bebida que leva ingredientes com as cores da bandeira do país, que ainda está sendo elaborada. Segundo o gerente de marketing Maurício Tavares, o hotel ampliou os pontos de internet nos quartos e montou uma sala de jogos com videogames para os jogadores. O outro membro da chave, Honduras, ficará no Hotel Transamérica em Porto Feliz (SP).

Grupo F – Churrasco para Messi


O deck da Cidade do Galo tem até churrasqueira
Foto:Divulgação

A Cidade do Galo, CT do Atético Mineiro em Vespasiano, ganhou a simpatia da seleção da Argentina por acaso. Dirigentes e membros da comissão técnica foram ao local, inicialmente, como uma cortesia, mas gostaram da estrutura e insistiram para fazer a preparação para a Copa por lá. O receio no clube era de que a presença dos argentinos pudesse atrapalhar a rotina do time profissional. Após um acerto de datas, a parceria foi selada.

O centro de treinamento foi ampliado recentemente e tem estrutura hoteleira. No deck construído de frente para um dos campos está a vedete do local: a churrasqueira. “Lógico que eles queriam um lugar para fazer uma parrilla. O deck é muito bonito, eles ficaram bem entusiasmados”, disse Daniel Nepomuceno, vice-presidente do Atlético-MG.

Abrigar Messi, um dos maiores jogadores do mundo atualmente, não preocupa o clube em termos de assédio e segurança. “Depois da chegada do Ronaldinho, o nível de assédio ficou muito alto, mas todos aqui sabem lidar com essas situações. Eles gostaram muito da estrutura. Ficamos muito orgulhosos de ter esse reconhecimento da Argentina”, completou Nepomuceno.

Os demais integrantes do grupo ficarão em São Paulo. A Nigéria buscou o interior e fechou com o Vitória Hotel, em Campinas (serão dois andares exclusivos para os africanos). O Irã optou pela proximidade com o aeroporto de Cumbica e com seu local de treinos, o CT do Corinthians, e se hospedará no Caesar Park em Guarulhos. Já a estreante Bósnia-Herzegovina se concentrará no Casa Grande Hotel, no Guarujá, e contará com uma feliz coincidência: uma das funcionárias morou na ex-república da Iugoslávia.

Grupo G – Videogame para o melhor do mundo


Cristiano Ronaldo: melhor do mundo em Campinas
Foto:Divulgação

O The Palms, em Campinas, será em junho (e julho, caso avance na Copa) o lar de Cristiano Ronaldo, eleito o melhor jogador do mundo e grande astro da seleção de Portugal. Talvez por isso a administração do local tenha optado pela discrição com relação à hospedagem.

Flavia Possani, gerente de marketing do grupo Royal Palms Hotels & Resorts, disse não ter informações sobre as negociações e as exigências dos portugueses. “O hotel já está adaptado às necessidades da seleção portuguesa.” Outros funcionários, no entanto, afirmaram à reportagem que os pedidos para o bem-estar dos jogadores foram focadas no lazer: internet veloz e videogames nos quartos para que os atletas possam jogar online.

As hospedagens dos outros integrantes do grupo também são cheias de segredos. O Tivoli Mofarrej, em São Paulo, receberá os Estados Unidos. Como a preocupação com segurança é marca registrada dos norte-americanos, nenhum funcionário do hotel está autorizado a falar sobre o assunto. A Alemanha fugiu do protocolo da Fifa e arrendou um espaço em Santa Cruz de Cabrália, na Bahia, para construir um CT próprio. Gana se refugiará no Radisson Maceió, em Alagoas.

Grupo H – Sul-coreanos em casa. E os russos?


Seleção da Coreia do Sul em visita às Cataratas do Iguaçu, em janeiro
Foto:Divulgação

As belas quedas d’água são apenas um dos atrativos que fizeram a Coreia do Sul escolher o Hotel Bourbon Cataratas Convention & Spa Resort, em Foz do Iguaçu (PR). Segundo Osvaldo Julio Neto, gerente geral do hotel, há uma comunidade asiática em Cuidad del Este, cidade vizinha que fica no Paraguai, e por isso deve atrair não só curiosos como também turistas ao local. “Grupos sul-coreanos já estão nos procurando. Vale a pena recebê-los, sem dúvida. Gera muita curiosidade”, garantiu.

No começo do ano, a seleção sul-coreana já ficou no local para um período de treinos. Como o hotel também recepcionou a pré-temporada do elenco principal do Coritiba, os asiáticos se sentiram mais à vontade, segundo o gerente do Bourbon. Apesar de terem ido visitar as Cataratas do Iguaçu, os jogadores ainda não se arriscaram nos esportes de aventura disponíveis na região. “Como vão jogar uma Copa, imagino que não querem correr riscos”, avaliou Neto.

A passagem dos sul-coreanos por conta da Copa renderá também um intercâmbio gastronômico. Os cozinheiros da seleção aprenderão o cardápio servido no hotel, enquanto os chefs do local serão orientados no preparo a pratos asiáticos.

Sentir-se em casa, por enquanto, tem sido um desafio para a Rússia. Até porque o risco de a casa não ficar pronta é muito grande. Por conta do atraso na reforma do CT anexo ao Estádio Novelli Júnior, em Itu, a seleção europeia cogita trocar de sede – Florianópolis  (SC) é uma das candidatas. Em princípio, o Hotel San Raphael abrigará os jogadores.

Cabeça de chave do grupo, a Bélgica optou pelo Paradise Golf & Lake Resort, em Mogi das Cruzes (SP). A localização foi um dos chamarizes, já que a cidade fica a 45 minutos do aeroporto de Cumbica e a 55 da Arena Corinthians, onde os europeus enfrentarão a Coreia do Sul, em 26 de junho. “Temos uma área muito grande, então precisamos fazer ajustes para garantir a privacidade deles”, explicou Ricardo Aly, gerente comercial do hotel, que comprará, a pedido dos belgas, alguns temperos importados para serem usados nas refeições. Já a Argélia ficará no CT do Atlético Sorocaba, clube do interior de São Paulo.

Fonte:IG

Compartilhar: