Pelo menos 15 presos suspeitos de liderarem greve de fome são transferidos de cadeia

Detentos têm uma pauta de reivindicações e querem inclusive saída de diretor de presídio

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A Coordenadoria da Administração Penitenciária do Rio Grande do Norte está identificando os presos que lideram um movimento de greve de fome no sistema prisional do Estado. Pelo menos 15 detentos já foram identificados suspeitos de liderarem essa greve e de elaborarem uma carta de reivindicações que pede, inclusive, a saída do diretor do presídio Rogério Coutinho Madruga.

A greve de fome teve início na segunda-feira (1º), no próprio presídio Rogério Coutinho, também conhecido como Pavilhão 5 de Alcaçuz. No entanto, presos de unidades prisionais de várias cidades do Estado aderiram ao movimento, chegando a mais de dois mil presos em greve de fome.

No dia, os detentos divulgaram uma carta, com a seguinte mensagem: “Em breve, todo o Sistema Penitenciário do Rio Grande do Norte estará iniciando uma greve de fome por tempo indeterminado, tendo como reivindicação a exoneração do diretor Osvaldo Júnior. Caso essa reivindicação não seja atendida, o que é uma rebelião pacífica pode se tornar em um caos no Sistema Prisional, o que não queremos que aconteça”.

Apesar disso, a Secretaria Estadual de Justiça e Cidadania descartou a saída do diretor da unidade. De acordo com a Sejuc, os presos que já foram identificados foram transferidos do Presídio Rogério Coutinho Madruga e da Penitenciária Estadual de Parnamirim para a Cadeia Pública de Nova Cruz, onde não há sinal de celular.

Fonte: Portal BO

Compartilhar: