PERIGO

A onda de boatos que se alastra nas redes sociais, especialmente em grupos fechados de internet, como WattsApp, em que…

A onda de boatos que se alastra nas redes sociais, especialmente em grupos fechados de internet, como WattsApp, em que portadores de smartphones trocam informações, gravações de áudio e vídeo, é um grande perigo para a campanha eleitoral.

PERIGO II

Como as informações são passadas internamente, o caso foge ao controle das autoridades. Combater boato é como enxugar gelo, tarefa inglória para os candidatos majoritários, que não saberão de onde nasceu o boato, quem foi o responsável e como rebater a informação falsa.

DISCURSO

Pelos últimos acontecimentos, o discurso das chapas majoritárias não será nacionalizado. Afinal, o PMDB de Henrique Alves vive encalacrado com escândalos de corrupção; o PSB de Wilma de Faria também terá sua preocupação com os esquemas no porto de Pecém; o PSD de Robinson vai ter que explicar a corrupção em São Paulo; o PT de Fátima terá vários escândalos para evitar.

DISCURSO II

Diante desse quadro de fragilidade generalizada, o discurso a ser utilizado na campanha será local, comparativo. Quem não tiver telhado de vidro, tem o dever de mostrar a verdade sobre o adversário. Quem começa já dizendo que vai fazer campanha somente propositiva, de alto nível, é porque tem medo de revelações pesadas. Afinal, como acreditar em propostas de alguém que tem só mentiras no currículo?

ANIMAÇÃO

O deputado do PT, Fernando Mineiro, é entusiasta da candidatura de Robinson Faria ao Governo do Estado. Em conversa com um eleitor, que o questionou a respeito da falta de carisma de Robinson, Mineiro respondeu: “Ele pode até não ter carisma, mas vai ganhar a eleição; vai ser governador; estou sentindo isso quando conversa com o povo”.

DESMENTIDO

O deputado Henrique Alves se supera em matéria de dissimulação. Em resposta à jornalista Thaisa Galvão, o filho de Aluízio desmentiu que fizesse pressão ou tivesse ingerência em outros partidos para apoiar sua candidatura: “Desminto qualquer forma de ingerência em questões internas de outros partidos. Seus líderes e candidatos sabem cuidar de si sozinhos. Esclareço que eu também não faço política dessa forma, não misturo o exercício institucional do meu cargo com arranjos eleitorais. Estou mais preocupado com as questões maiores, que dizem respeito aos problemas e às soluções para o Rio Grande do Norte”.

PROFISSIONAL

Depois de um desmentido desses, Sherloquinho questiona o motivo da ausência de Henrique Alves nas grandes produções da teledramaturgia da Globo. O homem é um profissional. Devia abrir uma escola de teatro.

ESCÂNDALO

A revista Veja do final de semana, que trouxe a matéria que envolve o doleiro investigado e o deputado do PT, André Vargas, terminou citando o assessor do ministro Garibaldi Filho, jornalista José Wilde, como beneficiário de um depósito de R$ 20 mil em sua conta. O jornalista não se pronunciou a respeito.

INVALIDEZ

O ex-deputado Ney Lopes manda e-mail: ‘Caro Tulio, encontro-me em viagem particular no Canadá. Entretanto, leio – como sempre – a sua conceituada coluna no JH. Realmente, em 2007 houve essa aposentadoria por invalidez, em razão de ter sido à época operado de câncer de próstata, considerado na lei neoplasia maligna.

Porém, em 2008 a Junta Medica da Câmara considerou-me curado, Graças a Deus. Em razão disso, saiu incontinenti novo ato administrativo aposentando-me proporcionalmente. Os que levantaram a dúvida não leram no DOU a portaria revogatória”.

INVALIDEZ II

Segue o e-mail de Ney Lopes: “Faço o desmentido, não por ser candidato a deputado federal. Apenas para preocupar, ainda mais, àqueles que se atemorizaram com a hipótese da minha candidatura em 2014 e logo argumentaram essa história de aposentado por invalidez. Não sou aposentado por invalidez, portanto.

Quanto a uma possível candidatura, a única pretensão que tenho e dependerá do meu partido, seria candidatura ao senado, por já ter exercido seis legislaturas no Congresso, ter experiência e manter i desejo de lutar dois objetivos básicos, além de outros:”

INVALIDEZ III

Continua Ney: “Primeiro, lutar pela geração de empregos no RN, com a instalação de uma ampla área de livre comércio no Grande Natal, agregando as ZPEs de Macaíba e Açu e criando pólos regionais de apoio a ALC com a produção em todas regiões estaduais (agreste, sertão, central, Seridó, salineira, oeste, sertão…), gerando mais de 50 m il empregos, diretos e indiretos. No país, ALC só existe em Roraima, por ser fronteira terrestre. O RN é a única fronteira marítima e aérea com Europa e África, sendo o local Ideal”.

INVALIDEZ IV

Ney Lopes conclui: “Segundo, lutar pela volta do crédito educativo como eu criei em 1975, quando eram beneficiados estudantes de escolas públicas e privadas, com renda mensal para atender despesas de livros, lazer, pesquisa, alimentação etc … O beneficiário pagaria após graduado com acessórios especiais. O PT acabou isto e hoje o FIES só paga anuidades de faculdades pagas o que beneficia mais as Universidades privadas do que os estudantes carentes. Uma injustiça com os universitários. Estes os esclarecimentos que dou em razão da nota sobre uma aposentadoria por invalidez, que graças a Deus não existe mais, pela minha cura”.

Compartilhar:
    Publicidade