Permissionários baixam nesta 5ª feira a tarifa para R$ 1,50 contra R$ 2,20 dos ônibus

Medida vale a partir de hoje para pressionar implantação imediata da unificação da bilhetagem eletrônica

Linha-505-de-alternativos-

A partir de hoje (6) quem utiliza o transporte alternativo para se deslocar em Natal passa a pagar R$ 1,50, contra os R$ 2,20 cobrados pelo transporte coletivo convencional (ônibus). A decisão foi confirmada durante assembleia realizada na noite desta quarta-feira (5) e é a forma encontrada pelos permissionários para protestar contra o Seturn e a Prefeitura de Natal pela implantação imediata da unificação da bilhetagem eletrônica. Nesta sexta-feira (7), os permissionários realizarão uma nova assembleia quando definirão novas estratégias para pressionar as autoridades.

O Sindicato dos Transportes Alternativos (Sitoparn) pede a imediata unificação da bilhetagem eletrônica, que por decreto, deveria ter sido implantada desde o dia 25 de fevereiro. O decreto, no entanto, não saiu do papel e o decreto ficou sem validade. Agora, a Prefeitura de Natal deverá assumir o controle (comercialização) da bilhetagem, mas não há prazo definido para a implantação.

No entendimento do presidente do Sindicato dos Transportes Alternativos, Nivaldo Andrade, a secretária municipal de Mobilidade Urbana, Elequicina dos Santos, foi “conivente e complacente com os empresários quando mentiu para o prefeito dizendo que os alternativos estavam irregulares”. “Nesse sentido, a secretária permitiu que o Seturn criasse um sistema de transporte chamado de complementar, mas na verdade é o Seturn arrendando e pirateando os alternativos”.

Nivaldo Andrade explicou que parte dos transportes alternativos está circulando pelo trajeto normal, enquanto que outra parte circula pelo itinerário que hoje é destinado aos ônibus coletivos. “Nos dividimos para que possamos atender as duas áreas, de modo que toda a população possa ser atendida pelos alternativos. Baixar a tarifa é inviável, mas é possível, pois aumentaremos o número de passageiros transportados e com isso aumentaremos a receita”. afirmou.

“Amanhã vamos realizar uma nova assembleia para avaliarmos o movimento e traçarmos novos mecanismos para que a implantação seja feita o quanto antes. Estamos respaldados por duas leis e um decreto e não admitiremos que acabem com a nossa luta. Agora, é vencer ou vencer e não sossegaremos até que a unificação da bilhetagem eletrônica seja implantada”, destacou o presidente Nivaldo Andrade.

Compartilhar:
    Publicidade