Pesquisadora retoma história dos pilotos franceses em Natal

O evento é organizado pelo Aeroclube Pierre-Georges LATECOERE desde 2007

Mônica Cristina fica em Natal até a sexta-feira (28). Foto: Divulgação
Mônica Cristina fica em Natal até a sexta-feira (28). Foto: Divulgação

A pesquisadora das relações franco-brasileiras em Santa Catarina, e consultora da história dos pilotos franceses da Aéropostale (aviação pioneira da França), Doutora Mônica Cristina Corrêa, está em Natal para pesquisar a relação da capital potiguar com a Aéropostale.  Os arquivos históricos apontam que a empresa de aviação, responsável por levar as correspondências da França, utilizava a base natalense no seu trajeto. Os vestígios do patrimônio aeronáutico encontrados na capital serão apresentados pela historiadora para tombamento como patrimônio histórico mundial pela Unesco.

Mônica Cristina fica em Natal até a sexta-feira (28). Durante esses dias, a pesquisadora pretende também buscar incentivos para fomentar a memória da aviação francesa. Bem como, trazer projetos para Natal, como o Raide Latécoère, uma expedição, que tem por lema “Leve uma escola sob sua asa” e refaz o percurso dos pioneiros franceses da aviação vinculados à Aéropostale nos anos 1920-1930, entre os quais Jean Mermoz, Henri Guillaumet, Marcel Reine, Paul Vachet e Saint-Exupéry.

O evento é organizado pelo Aeroclube Pierre-Georges LATECOERE desde 2007 e financiado pelos Fundos Latécoère para a Aeronáutica, cujo objetivo é fazer viver o patrimônio aeronáutico francês, principalmente o da Aéropostale, no contexto do século XXI, apoiando projetos humanitários centrados na Educação e ligados à Aeronáutica. A última edição foi realizada em maio do ano passado, na cidade de Florianópolis, mas diversas ações ocorrem durante o ano, como três grandes encontros na África, na América do Sul e Madagascar; encontros na França e na Europa, a fim de divulgar os Fundos Latécoère para a Aeronáutica, seu objetivo, suas ações; E o apoio a projetos de Educação, fator essencial nos países atravessados: construção ou modernização de escolas e bibliotecas, compra de móveis e materiais escolares.  Todos esses benefícios para a educação, história e cultura podem vir para a capital potiguar através deste projeto.

Compartilhar:
    Publicidade