Petroleira de Eike Batista lucra R$ 303 milhões no 2º trimestre

O ganho no trimestre foi beneficiado pela variação cambial no período que foi positiva em 340,3 milhões de reais

Óleo e Gás é a antiga OGX, empresa de Eike que está em recuperação judicial. Foto: Divulgação
Óleo e Gás é a antiga OGX, empresa de Eike que está em recuperação judicial. Foto: Divulgação

A Óleo e Gás Participações (ex-OGX), em recuperação judicial, teve lucro líquido contábil de 303,4 milhões de reais no segundo trimestre, um avanço frente ao mesmo trimestre de 2013, quando registrou prejuízo líquido de 4,722 bilhões de reais, informou a petroleira de Eike Batista nesta quinta-feira.

O ganho no trimestre foi beneficiado pela variação cambial no período que foi positiva em 340,3 milhões de reais, ante negativa em 464,1 milhões de reais um ano antes. A receita líquida de vendas foi de 292,99 milhões entre abril e maio, alta de 94% frente ao mesmo período de 2013, quando registrou receita de 150,87 milhões de reais.

Segundo a empresa a receita líquida de vendas foi “ancorada principalmente” pela produção de Tubarão Martelo, que registrou média de 9,5 mil barris de óleo/dia no trimestre. Já Tubarão Azul produziu média de 4 mil barris de petróleo/dia. “As vendas realizadas pela companhia ao longo do primeiro semestre de 2014 totalizaram 514 milhões de reais, correspondentes à comercialização de 2,4 milhões de barris de óleo”, disse a Óleo e Gás em seu relatório.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) da operação da Óleo e Gás no segundo trimestre foi de 49,258 milhões de reais, avanço frente ao registrado no mesmo período de 2013, que foi negativo em 26,634 milhões.

Segundo a Óleo e Gás, o desempenho operacional do segundo trimestre deste ano mostrou que a empresa teve sucesso na estratégia de concentrar esforços na operação dos campos de Tubarão Martelo e Tubarão Azul. A posição de caixa da empresa era de 48,092 milhões de reais no fim de junho, enquanto no fim do ano passado esse saldo era de 26,366 milhões de reais.

A petroleira de Eike Batista entrou em outubro de 2013 com o maior pedido de recuperação judicial da América Latina, que foi aprovado pelos credores e homologado pela Justiça em junho.

Fonte: Veja

Compartilhar:
    Publicidade