PF desarticula maior esquema de fraude da história da CEF

De acordo com a PF, a fraude consistiu na abertura de uma conta corrente na agência da Caixa no município de Tocantinópolis (TO)

Até o final da manhã deste sábado, a PF já havia apreendido aproximadamente 70% do dinheiro desviado. Foto: Divulgação
Até o final da manhã deste sábado, a PF já havia apreendido aproximadamente 70% do dinheiro desviado. Foto: Divulgação

A Polícia Federal desencadeou, na manhã deste sábado, uma operação para combater a que é apontada como a maior fraude já sofrida pela Caixa Econômica Federal.  Foram emitidos, pela Operação Éskhara, cinco mandados de prisão preventiva, 10 mandados de busca e apreensão e um mandado de condução coercitiva nos Estados de Goiás, Maranhão e São Paulo.

De acordo com a PF, a fraude consistiu na abertura de uma conta corrente na agência da Caixa no município de Tocantinópolis (TO), em nome de uma pessoa fictícia, criada para receber um falso prêmio da Mega-Sena no valor aproximado de R$ 73 milhões. Em seguida, o dinheiro creditado foi transferido para diversas contas.

As investigações apontam para a participação no esquema de um suplente de deputado federal do estado do Maranhão no crime, dentre outros envolvidos. No decorrer da investigação, foi preso o gerente geral da agência de Tocantinópolis.

Até o final da manhã deste sábado, a PF já havia apreendido aproximadamente 70% do dinheiro desviado. Participam da operação 65 policiais federais dos estados do Tocantins, Goiás, Maranhão e São Paulo.

Os acusados serão indiciados pelos crimes de peculato , receptação majorada, formação de quadrilha e  lavagem de dinheiro, cujas penas somadas, caso condenados, podem chegar a 29 anos de reclusão.

 

Fonte: Terra

Compartilhar:
    Publicidade