PF investiga crime de lavagem e sonegação de R$ 400 milhões em Mossoró

O nome da Operação Salt, sal em inglês, deve-se à atuação do principal investigado que é empresário do ramo salineiro no RN

A investigação revelou que a organização criava empresas nos ramos da carcinicultura, tecelagem, salineiro, venda de veículos e combustível. Foto: Cedida/PF
A investigação revelou que a organização criava empresas nos ramos da carcinicultura, tecelagem, salineiro, venda de veículos e combustível. Foto: Cedida/PF

A Polícia Federal no Rio Grande do Norte concedeu agora uma entrevista coletiva agora para detalhar a operação executada na manhã de hoje, em conjunto com a Receita Federal do Brasil e Ministério Público Federal. Apelidada de “Operação Salt”, a ação tem objetivo, segundo a PF, de “desmantelar suposta organização criminosa voltada à prática de crimes tributários e lavagem de dinheiro”.

O delegado da PF Rubens França confirmou que toda a investigação se dá em cima de um grupo econômico de Mossoró do ramo salineiro mas que estende a participação em vários outros segmentos como carcinicultura, tecelagem, salineiro, venda de veículos e combustível.

O delegado afirma que a sonegação de impostos era feita pelos chamados “laranjas”. Ninguém foi preso na operação. Foram apreendidos dinheiro, duas armas e muitos outros objetos apreendidos. A PF não divulgou valores. Neste momento as buscas ainda continuam.

O delegado afirma que a sonegação de impostos era feita pelos chamados "laranjas". Foto: Cedida
Sonegação de impostos era feita pelos chamados “laranjas”, que adquiriam carros de luxo. Foto: Cedida

De acordo acordo com o delegado da Receita Federal, Wilo Queiroz, o volume sonegado pelo grupo ultrapassa os R$ 430 milhões. Ao todo, 90 policiais federais participaram da operação. Foram investigadas 37 empresas e cumpridos 21 mandados de busca e apreensão, expedidos pela Justiça Federal de Mossoró.

A PF não divulgou valores. Neste momento as buscas ainda continuam. Foto: Cedida
A PF não divulgou valores. Neste momento as buscas ainda continuam. Foto: Cedida

O nome da Operação Salt, sal em inglês, deve-se à atuação do principal investigado que é empresário do ramo salineiro na região Oeste do Estado.

 

Compartilhar: