Piá, ex-jogador de Corinthians e Ponte Preta, deixará a cadeia hoje

Em 1999, o atleta alvinegro foi indiciado como coautor do homicídio de um mecânico, em Limeira

Ex-jogador já teve passagens anteriores pela polícia. Foto;Divulgação
Ex-jogador já teve passagens anteriores pela polícia. Foto;Divulgação

O ex-jogador de futebol Reginaldo Revelino Jandoso, também conhecido como Piá, que atuou no Corinthians, Santos e Ponte Preta irá deixar o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Hortolândia nesta semana. O jogador que foi preso junto com sua namorada por portar em seu veículo equipamentos para a prática de “pesca” de envelopes em caixas eletrônicos, recebeu da Justiça o Habeas Corpus para libertá-lo na noite da última segunda-feira (10) e deixará a cadeia durante a tarde desta terça-feira (11).

Sua namorada, Pabllin Jessica Gomes que estava presente no dia em que policiais militares efetuaram o flagrante e foi presa, também recebeu o Habeas Corpus e deixará o presidio feminino de Paulínia.

Piá foi detido no dia 22 de janeiro e segundo a PM, o ex-boleiro tentou contornar a situação dizendo que estava na companhia da mulher e de uma amiga que estavam em um bar nas proximidades. O ex-atleta chegou a ligar para a mulher e pedir um refrigerante. No entanto, a encenação não impediu que os policiais pedissem para que o carro fosse revistado. Dentro do veículo e embaixo do banco do passageiro, os policiais acharam uma necessaire com lâminas de alumínio e outros equipamentos, como chave de fenda, alicate e fitas adesivas, que seriam utilizados para roubar dinheiro dos terminais eletrônicos.

O despacho emitido pelo Tribunal de Justiça de São Paulo na noite da última segunda-feira não informa a data em que o ex-atleta será solto para responder o processo impetrado de crimes contra o patrimônio/furto que pesam sobre o casal.

A advogada do casal, Dra. Adriana Pereira da Silva informou que o processo para soltura do ex-jogador deve ser concluído durante a tarde desta terça-feira (11). “A liminar foi emitida ontem e agora o processo passa pelo fórum, a juíza é notificada e o oficial de justiça leva o habeas corpus até o presídio. Após isso ele pode ser solto, acredito que por volta das 17h30 de hoje o Reginaldo deve deixar a cadeia” disse.

Carreira

Piá sempre teve seu nome envolvido em polêmica dentro e fora das quatro linhas do campo. Seu auge na carreira esportiva ocorreu entre os anos de 1999 e 2003, quando a Ponte Preta voltou à elite do futebol brasileiro e chegou às semifinais do Paulistão, Copa do Brasil e quartas de final do Brasileirão.

Amado e odiado ao mesmo tempo entre a torcida alvinegra de Moisés Lucarelli, Piá ficou marcado por um lance que culminou na eliminação da Macaca no Campeonato Brasileiro de 1999. Em uma partida decisiva contra o São Paulo, Piá foi derrubado e, ao cair, agarrou a bola com as mãos, o árbitro da partida anotou pênalti para o tricolor e o lance é lamentado até os dias de hoje.

Esta não é primeira vez que Piá se envolve em um caso policial. Em 1999, o atleta alvinegro foi indiciado como coautor do homicídio de um mecânico, em Limeira. Piá foi acusado na ocasião de ser o responsável por dar a ordem a um primo de atirar contra o homem. No julgamento do caso o atleta foi absolvido.

Fonte:IG

Compartilhar:
    Publicidade