Pilotos franceses e aviões da Aeropostale chegam nesta quinta‏-feira

Na sexta-feira (16), a partir das 9h, na Assembleia Legislativa, começa a exposição da “Memória da Aéropostale”

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Nesta quinta-feira (15) Natal vai reviver um momento histórico na sua rica trajetória na aviação. A partir das 11h, no Aeródromo Severino Lopes (Lagoa do Bonfim), estarão pousando os aviões Cesna e os pilotos franceses que fazem parte da exposição “Memória da Aéropostale”. Neste dia, os pilotos estarão sendo recepcionados pelas crianças da Banda Sanfônica do Museu do Vaqueiro e depois haverá uma coletiva com a imprensa na Lagoa do Bonfim, onde o francês Jean Mermoz esteve em 1930.

Na sexta-feira (16), a partir das 9h, na Assembleia Legislativa, começa a exposição da “Memória da Aéropostale”, que conta um dos mais belos capítulos da aviação mundial: a da companhia francesa de correio aéreo, conhecida como Latécoère e Aéropostale.

Criada por Pierre-Georges Latécoère em 1918, na cidade de Toulouse, na França, a empresa de correio aéreo desafiava todas as condições da época e fazia com que pilotos heroicos atravessassem as montanhas da França, o deserto do Saara e posteriormente as florestas e intempéries da América do Sul para entregar o correio.

Sem contar a travessia do Oceano Atlântico, em 1930, que aconteceu justamente em Natal, quando o piloto Jean Mermoz, após quase 20 horas sobre o Atlântico, desceu sobre o rio Potengi. Somente no Brasil, a companhia possuiu 11 escalas, de Norte a Sul: Natal, Recife, Maceió, Caravelas, Vitória, Rio de Janeiro, Santos, Florianópolis, Porto Alegre e Pelotas, além da base de hidraviões em Fernando de Noronha.

Entre as escalas, Natal destacava-se por ser o ponto de chegada ao continente sul-americano e possuir base de hidraviões. Seu pioneirismo não era falho: a cidade foi sempre palco privilegiado da história da aviação. Além disso, permeiam a história da cidade os relatos dos nativos, endossados pelos documentos de franceses, da passagem de Mermoz, Vachet e também de um dos mais famosos pilotos da Companhia Aéropostale: Antoine de Saint-Exupéry, também escritor e autor do best-seller mundial, O Pequeno Príncipe (1943).

Por fotos, textos e documentos locais, o visitante da exposição “Memória da Aéropostale” terá a oportunidade de conhecer mais detalhes dessa história que une a França e o Brasil e está na gênese da própria Air France, companhia que se formou pela fusão de cinco outras empresas, entre as quais, a Aéropostale.

A abertura da exposição será dia 16 de maio de 2014, na Assembleia Legislativa, em presença de doze aviadores franceses que realizam o Raide Latécoère com o intuito de celebrar a memória dos grandes pioneiros da aviação e lançar, no Brasil, o projeto de tombamento da rota da antiga Aéropostale pela UNESCO.

Em dois aviões, o Raide Latécoère faz um programa em cinco cidades brasileiras: Pelotas, Florianópolis, Santos, Rio de Janeiro e Natal. Em todas, visita os eventuais vestígios da antiga companhia e faz o inventário dos mesmos para o dossiê de tombamento, além de abrir exposições temáticas que reavivam a história dessa epopeia aérea. Em Natal, marca presença também o arquiteto do patrimônio francês, Rémi Desalbres.

Realizada pela AMAB (Associação Memória da Aéropostale no Brasil) e o Raide Latécoère a exposição e todo o evento conta com o apoio da Prefeitura do Natal e Assembleia Legislativa.

Local

Assembleia Legislativa: sexta-feira (16), a partir das 9h.

Exposição: “Memória da Aéropostale”.

Entrada franca

Chegada dos pilotos na quinta-feira (15), a partir das 12h, no Aeródromo Severino Lopes.

Compartilhar: