Pitty lança disco que reflete período difícil e ‘experiência de quase morte’

Ela fala de som pesado e diz 'valorizar saúde' após internação em 2013. Cantora exalta Valesca Popozuda e comenta ação trabalhista de ex-colega

foto_-_pitty_por_pitty_-_divulgacao_1

Em 2013, Pitty passou por uma “experiência de quase-morte”, ela conta ao G1. ”Sabe aquela coisa que os mais velhos falam, ‘quem tem saúde tem tudo’?  Ano passado aprendi o verdadeiro significado dessa frase”, diz. Em 2013, a cantora foi internada na UTI e teve uma “parada estomacal”, segundo sua assessoria. Ela não dá mais detalhes sobre o problema de saúde. No novo disco, “Setevidas”, ela desafia a morte na faixa-título:  “Viver parece mesmo / Coisa de insistente”.

O período de composição das músicas, segundo Pitty, foi “difícil”. Outra faixa nova, “Lado de lá”, fala da morte do ex-guitarrista Peu. O músico se matou em maio de 2013. No mesmo período, a cantora enfrentava uma disputa com outro ex-integrante de sua banda. O baixista Joe tem um processo trabalhista aberto contra o grupo de Pitty. “É muito triste você ver uma pessoa jogar fora seu caráter e honra por causa de dinheiro”, ela diz. O G1 tentou contato com Joe, mas ele não quis comentar o assunto.

O tom, no entanto, não é triste. Durante a gravação, ela diz que teve “vontade de engolir o mundo”. O som é sujo e pesado, e remete aos temas que a cantora aborda desde o início da carreira. O poder feminino é um deles. “Traz alguém, que saiba de amor / Sem o porém de adestrador / Pois nunca há de haver feitor aqui”, canta em “Um Leão. Pitty elogia o feminismo de Valesca Popozuda e compara: “Somos mulheres exercendo o direito de ser”.

 

Fonte: G1

Compartilhar: