PMs param viaturas em protesto por más condições de trabalho

Veículos com problemas não estão circulando no RN

Apenas no 4º Batalhão,  há 7 viaturas encostadas à espera de conserto. Foto: Divulgação
Apenas no 4º Batalhão,
há 7 viaturas encostadas à espera de conserto. Foto: Divulgação

Alessandra Bernardo
Repórter

Mais duas unidades da Polícia Militar na Região Metropolitana de Natal aderiram à operação “Segurança com Segurança”, iniciada ontem em protesto contra as faltas de condições de trabalho enfrentadas pelas tropas.

Os militares do 1º Batalhão da PM (BPM), situado na zona Leste de Natal e da 2ª Companhia do 4º BPM, na zona Norte, também decidiram atuar com restrições por causa da falta de equipamentos de proteção individual e de irregularidades em diversas viaturas e motocicletas, como pneus carecas e extintores de incêndio vencidos, entre outros.

Ontem, aderiram à ação os policiais militares do Esquadrão Águia, ligado ao Comando de Polícia Rodoviária Estadual (CPRE), do 3º BPM (Parnamirim), 4º BPM (zona Norte) e 5º BPM (zona Sul). Além destes, os policiais do 9º BPM, situado na zona Oeste da Capital, e da Rondas Ostensivas com Apoio de Motocicletas (Rocam), também estudam a possibilidade de aderirem ao “Segurança com Segurança”, que orienta os militares a trabalharem apenas conforme as condições que o Governo do Estado oferece à corporação hoje.
“Não é greve ou rebeldia, apenas uma medida de proteção à vida do policial, que trabalha arriscando a vida diariamente para proteger a população potiguar, mas sem as mínimas condições de segurança para ele próprio.

O que queremos é que o governo estadual veja a situação precária e de falta de investimentos na Polícia Militar hoje e se sensibilize com a situação difícil que os militares, sejam de qual patente for, trabalham hoje em prol da sociedade”, explicou o presidente da Associação dos Subtenentes e Sargentos da Polícia e Bombeiros Militares (ASSPMBM/RN), Eliabe Marques.

Conforme denúncia da entidade, várias viaturas policiais estão sendo retiradas de circulação por problemas com pneus velhos ou falta de estepe, documentação vencida, motoristas sem o curso de condução de veículos de emergência ou simples falta de manutenção. No 4º BPM, onde já há um setor específico para isso, sete viaturas estão aguardando conserto.

Apesar disso, segundo o comandante da unidade, major Manoel Kennedy, sete viaturas estão circulando normalmente hoje em patrulhamento ostensivo na região e que até o momento, não houve nenhum problema com os policiais que aderiram ao movimento. “Eles estão sendo orientados pela entidade, mas estão todos aqui trabalhando normalmente, tanto que temos sete equipes nas ruas, patrulhando toda a região coberta pelo 4º BPM”, disse.

 

Praças continuam acampados em frente a sede do Governo

Enquanto isso, os praças continuam acampados em frente ao prédio da Governadoria, dentro do Centro Administrativo Estadual, aguardando um posicionamento do executivo sobre o envio do projeto de lei de promoção de praças à Assembleia Legislativa. A categoria pede que o documento seja remetido ao legislativo até a próxima sexta-feira, quando os deputados estaduais entram em recesso parlamentar de fim de ano.

Segundo Eliabe, o projeto foi protocolado desde fevereiro passado e durante todo esse tempo, a governadora Rosalba Ciarlini não deu andamento ao caso. “Atualmente, o documento está nas mãos do chefe da Casa Civil, Carlos Augusto Rosado, que disse que iria analisá-lo. Enquanto isso, continuaremos acampados, até que o estado dê uma resposta positiva para a categoria, que abrange mais de seis mil homens da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros”, explicou.

Compartilhar: