Poder Judiciário do RN lança seu primeiro Guia nesta quinta-feira

O lançamento acontece num momento histórico, quando os Tribunais correm para virtualizar todos os processos por meio do PJe

Depois de mais de 120 anos de existência do Tribunal de Justiça potiguar, o Poder Judiciário do Rio Grande do Norte ganha seu primeiro Guia, contendo matérias sobre suas diferentes instâncias em Segundo Grau. O lançamento acontece nesta quinta feira, às 10 horas, no prédio da Corte do Tribunal Regional do Trabalho, com a presença de magistrados e autoridades convidadas.

É a primeira publicação do gênero no Estado e traz uma radiografia completa do TJ-RN, TRT21, Tribunal Regional Eleitoral e Justiça Federal. As entidades afins, como a seccional da OAB, o Ministério Público Estadual, a Procuradoria Geral do Estado e a Defensoria Geral do Estado também têm seu espaço na publicação editada pela Jurinews, que mantém um site de informações jurídicas na internet abrigada no portal de O JORNAL DE HOJE.

É a primeira vez que tribunais, desembargadores e juízes de Segundo Grau ganham uma revista falando de suas biografias, decisões e livros preferidos de uma maneira que o leitor participe dos momentos mais importantes das Cortes e da seção judiciária federal.

- Processo Judicial Eletrônico -, um sistema que promete eliminar completamente o uso de papel e criará uma interface entre magistrados, advogados e as partes interessadas.

As matérias também abordam o funcionamento das câmaras julgadoras do Tribunal de Justiça e das turmas que atuam no âmbito da justiça trabalhista, abordando suas rotinas e a maneira como os julgamentos se desenvolvem de uma maneira nunca feita antes.

O Anuário estará disponível na páginas eletrônicas do Jurinews depois do lançamento do Guia nesta quinta-feira.

Na publicação, os juízes de Primeiro Grau não foram esquecidos. Com 122 páginas, a obra traz na parte final uma extensa relação de telefones, endereços e e-mails de todos os magistrados do Estado e suas comarcas. E há ainda um texto complementar dizendo o que o leitor pode esperar do conteúdo, como manusear o Guia e os preceitos éticos que definem a sua realização.

O diretor da Jurinews, jornalista João Ferreira, explica que a ideia de lançar o anuário foi baseada na experiência bem sucedida no gênero, mas voltados para os grandes tribunais. “Era uma lacuna que tínhamos e resolvemos empreender um produto editorial que evolua ainda mais com o tempo”, diz.

O projeto, que começou a ser formatado em agosto do ano passado, contou com o trabalho de uma equipe de quatro jornalistas, e as últimas informações foram incorporadas ainda na primeira quinzena de janeiro deste ano. Contou com o apoio de todos os tribunais e da seção judiciária federal a partir de seus próprios presidentes, que valorizaram a publicação ao concederem entrevistas exclusivas.

“Vivemos num ambiente em que o poder judiciário desempenha um papel fundamental na sociedade, transformando-se muitas vezes em protagonistas de situações da maior relevância, ganhando as páginas da mídia diariamente”, lembra João Ferreira. “Daí a conveniência de um anuário que aproxime esse poder do público, começando pelos advogados, promotores, procuradores e formadores de opinião”, acrescenta.

Nesta edição inaugural, o Guia do Judiciário do Rio Grande do Norte traz, entre as reportagens principais, o impacto do Processo Judicial Eletrônico na vida dos Tribunais e da Justiça Federal no Estado e dimensiona os avanços da tecnologia em toda a extensão desses poderes. Aborda também o desafio imposto às cortes e à seção judiciária federal das metas de produtividade impostas pelo Conselho Nacional de Justiça em meio a um ambiente de mudanças e luta contra a falta de estrutura física e de pessoal. O livro também aborda o choque de gestão vivida pelas Cortes com as restrições de orçamento impostas liminarmente pelo Poder Executivo.

O projeto, que começou a ser formatado em agosto do ano passado, contou com o trabalho de uma equipe de quatro jornalistas. Foto: Cedida
O projeto, que começou a ser formatado em agosto do ano passado, contou com o trabalho de uma equipe de quatro jornalistas. Foto: Cedida
Compartilhar: