Polícia de Mossoró sai à caça e consegue tirar mais três bandidos de circulação

O grupo se dividiu e foi cercado pelos militares em duas residências

Foto: O Câmera
Foto: O Câmera

A polícia militar da cidade de Areia Branca recebeu informações de que integrantes de uma quadrilha acusada de vários assaltos e arrombamentos na região, estavam escondidos no bairro Santo Antônio, em Mossoró.

Segundo o Capitão Jailson Andrelino, comandante da companhia de polícia de Areia Branca, na semana passada os elementos tentaram matar uma pessoa na cidade, depois fugiram pra Mossoró e mandaram avisar que retornariam nesta quarta feira para matar alguém. Informações apontam que o alvo dos assassinos seria o próprio Capitão Andrelino.

Na noite de ontem, o oficial estava em seu veículo em companhia da esposa e foi seguido por várias ruas da cidade pelos indivíduos. A central de operações da polícia militar foi acionado e enviou viaturas do grupo tático operacional “GTO” e da ronda ostensiva com apoio de motocicletas, “ROCAM”, que localizaram os elementos em fuga pelas ruas do bairro Santo Antônio.

O grupo se dividiu e foi cercado pelos militares em duas residências: Uma próximo ao cruzamento das ruas Delfim Moreira com a Seis de Janeiro e a outra na rua Pedro Velho, próximo ao antigo “Bar bigode do meu tio”, também no Bairro Santo Antônio.

Durante a abordagem os elementos reagiram atirando em direção aos policiais. Na residência da rua Delfim Moreira, o indivíduo ficou frente a frente com um policial do GTO, porém a sua arma falhou e bateu catolé.

Na segunda residência, o individuo que ameaçou o oficial chegou a disparar a arma em sua direção, mas errou o disparo.

Foram mortos durante a troca de tiros:

Romerito Pereira Costa, “Rominho”, 19 anos de idade, natural de Mossoró, sem residência fixa. Segundo informações era o comandante do grupo e já com várias passagens pela polícia com acusações de assaltos, arrombamentos e tentativas de homicídios. As vítimas de Rominho disseram à polícia que ele era muito violento durante suas ações.

Maxsuel Pereira da Silva, 22 anos de idade, natural de Mossoró e residia na rua Delfim Moreira, mas segundo informações da polícia, só utilizava a residência como ponto base para as ações do grupo.

O último elemento conhecido apenas como “Frank”, que aparentava ter a mesma idade dos demais e segundo informações era quem fazia companhia a Rominho nas ações criminosas. Ele estava sem documento de identificação.

Os três acusados foram socorridos pela polícia, mas já chegaram ao Hospital Regional Tarcísio Maia sem vida.

Fonte: O Câmera

Compartilhar: