Quadrilha fraudou provas do Enem 2013 com celulares de plástico

Investigações apontam que pessoas infiltradas em cidades com menor esquema de segurança também passavam gabaritos para pontos eletrônicos

Para conseguir passar pelos fiscais, os criminosos atuavam em cidades com esquema de segurança mais frágil. Foto: Divulgação
Para conseguir passar pelos fiscais, os criminosos atuavam em cidades com esquema de segurança mais frágil. Foto: Divulgação

Um esquema montado pela mesma quadrilha que vendia vagas em universidades do Rio de Janeiro e de Minas Gerais conseguiu fraudar as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) deste ano, de acordo com a polícia. Investigações apontam que os criminosos infiltravam pessoas nas salas de aula para fazer as provas rapidamente e passar as respostas para os alunos que disputavam o exame. Candidatos que contrataram a quadrilha usavam celulares de plástico – para passar pelos detectores de metais - e pontos eletrônicos para receber as respostas.

Para conseguir passar pelos fiscais, os criminosos atuavam em cidades com esquema de segurança mais frágil. A polícia reuniu escutas telefônicas que mostram como a quadrilha agia para fraudar o Enem e imagens que mostram candidatos e integrantes da quadrilha se reunindo dentro de carros antes das provas. Eles recebiam treinamento antes das provas, e os candidatos aprovados continuavam recebendo a ajuda da quadrilha também para passar de ano. A polícia indiciou 36 pessoas pelo esquema, e 10 continuam presas.

Informações são do Bom Dia Brasil.

Fonte: Terra

Compartilhar: