Polícia italiana denuncia Pizzolato por falsidade ideológica

Pizzolato, que forjava documentos desde 2007, se identificou inicialmente como Celso no momento em que foi preso

Em solo italiano, Pizzolato foi descoberto e, agora, deverá responder por mais outros crimes. Foto:Divulgação
Em solo italiano, Pizzolato foi descoberto e, agora, deverá responder por mais outros crimes. Foto:Divulgação

Ex-diretor de marketing do Banco do Brasil, Henrique Pizzolato foi condenado a 12 anos e sete meses pela sua participação no esquema do mensalão. Fugido do Brasil, Pizzolato entrou na Itália no fim do ano passado usando passaporte emitido no nome de Celso, um irmão morto havia 35 anos.

Em solo italiano, Pizzolato foi descoberto e, agora, deverá responder por mais outros crimes. De acordo com a agência de notícias Ansa, a polícia italiana, na província de La Spezia, denunciou o ex-bancário por substituição de pessoa, falso testemunho a um oficial público e falsidade ideológica.

Pizzolato, que forjava documentos desde 2007, se identificou inicialmente como Celso no momento em que foi preso. Interrogado, contudo, admitiu ser Henrique.

Vale lembrar que na semana passada a Justiça italiana já havia negado seu pedido de condicional. A juíza Danila Indirli alegou que havia risco de que Pizzolato fugisse.

Fonte:Bol

Compartilhar:
    Publicidade