Polícia prende médica que mandou cortar pênis do noivo que desistiu de casamento

Crime ocorreu em 2002, em Juiz de Fora; ela foi condenada em 2009 e estava em liberdade

Homens usaram faca para amputar o membro; irmão presenciou a cena e desmaiou. Foto: Divulgação
Homens usaram faca para amputar o membro; irmão presenciou a cena e desmaiou. Foto: Divulgação

Uma médica de Juiz de Fora, na Zona da Mata, foi presa nesta terça-feira (1º) por ter contratado dois homens para amputar o pênis do ex-noivo, que havia rompido a relação a três dias do casamento.

O crime foi cometido em 2002. Myriam Priscilla de Rezende Castro, de 34 anos, foi condenada a seis anos de prisão em 24 de abril de 2009, mas permanecia em liberdade por conta de uma série de recursos. Ela trabalhava como clínica geral em Pirassununga (SP).

Wendel José de Souza rompeu o relacionamento com Myriam Castro na semana em que subiria ao altar. Revoltada, ela incendiou o carro e a casa do ex-noivo e ameaçou atacá-lo. Dias depois, Wendel de Souza foi cercado por dois homens contratados pelo pai da médica. Os homens avisaram que estavam a mando de Myriam Castro e do pai dela, Walter Ferreira de Castro, 76 anos.

O irmão da vítima foi obrigado a assistir a mutilação e desmaiou ao testemunhar a cena.

Após o crime, a médica mudou-se para Barbacena, na região central de Minas, onde continuou trabalhando normalmente. Ela foi condenada a seis anos de prisão por lesão corporal gravíssima, mas não chegou a ser presa. Em 2013, Myriam mudou-se para Pirassununga.

Como a sentença transitou em julgado, foi expedido o mandado de prisão. Contando com apoio da Polícia Civil de São Paulo, policiais mineiros cumpriram a decisão nesta terça-feira (1º), quando Myriam saía de casa, em um condomínio de luxo, para trabalhar.

Ela ficará presa na Penitenciária Feminina Estevão Pinto, em Belo Horizonte, até ser transferida para Juiz de Fora, onde foi condenada.

Fonte: R7

Compartilhar:
    Publicidade