Polícia tenta identificar responsáveis por torturar e matar PM

O corpo do sargento Luciano Nepomuceno foi encontrado com marcas de cinco tiros

Nepomuceno foi alvo de pelo menos cinco disparos. Foto: Divulgação
Nepomuceno foi alvo de pelo menos cinco disparos. Foto: Divulgação

A DHBF (Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense) busca câmeras de segurança em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, que possam ajudar a desvendar a identidade dos responsáveis por torturar e matar o policial militar Luciano Nepomuceno, de 37 anos.

O corpo foi encontrado na manhã de sábado (5) em Duque de Caxias, a 30 km de distância de onde ele foi visto pela última vez, na mesma cidade, ao embarcar em um ônibus. O delegado Guilherme Turl acredita que ele foi assaltado e torturado, depois que os criminosos perceberam que a vítima era policial.

“Os criminosos gostam de tomar esse tipo de atitude por ser um policial militar. E por estar com um contracheque e desarmado, se aproveitaram da situação e o executaram”.

Peritos observaram sinais de tortura e cinco perfurações de bala no corpo de Nepomuceno, que era casado e pai de dois filhos. Quaisquer informações sobre os responsáveis pelo crime podem ser passadas ao Disque-Denúncia (2253-1177), com anonimato garantido.

Fonte: R7

Compartilhar: