Polícia terá efetivo máximo para evitar desordem nos protestos

Primeiro protesto do dia foi realizado hoje pela manhã, em frente ao Midway, pelos servidores da Polícia Civil do Estado

Protesto-dos-Policiais-Civis-e-Guardas-Municipais--WR--(2)

Por si só, o jogo entre Estados Unidos e Gana, que será realizado a partir das 19h no Arena das Dunas e marca a estreia da seleção americana na Copa do Mundo, já era considerado de alto risco pelo sistema de segurança que está trabalhando em Natal durante o Mundial. A situação ficou ainda mais preocupante pelos protestos que entidades sindicais e movimentos sociais marcaram para hoje.

De acordo com o comandante geral da Polícia Militar do Rio Grande do Norte, coronel Francisco Canindé Araújo, o direito da manifestação será mantido. “A constituição dá o direito das pessoas de realizarem protestos e a Polícia Militar irá manter esse direito. Vamos acompanhar e garantir que tudo ocorra dentro da normalidade”, destacou.

Quando fala “garantir que tudo ocorra dentro da normalidade”, coronel Araújo quis dizer que nenhum tipo de violência e nem mesmo a interdição de vias públicas serão permitidas. “Como falei, todo mundo tem o direito de protestar, mas de maneira alguma iremos permitir que esse protesto termine em algum tipo de violência. Se os manifestantes interditarem vias, vamos agir. Se quebrarem alguma coisa, vamos agir. Quem sair da conduta de um protesto pacífico, vai ser preso e estamos preparados para isso”.

Todo o efetivo do Batalhão de Policiamento de Choque (BPChoque) e Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) estão de prontidão para garantir a tranquilidade da manifestação. O perímetro de segurança do Arena das Dunas também será preservado. “Para esta segunda nós convocamos todos os policiais dos dois batalhões. A manifestação pode acontecer em calçadas e em outros locais fixos, menos locais que impeçam o direito de ir e vir. Além disso, temos 27 pontos de contenção nos 2 km de do perímetro de segurança do Arena das Dunas. Quem tentar ultrapassar vai ser impedido e preso. De maneira alguma iremos permitir qualquer tipo de desordem em Natal”, garantiu o coronel Araújo.

Segundo Célia Dantas, presidente do Sindicato dos Servidores da Saúde do RN, a intenção é fazer um protesto pacífico e mostrar que os gastos com a Copa do Mundo não condizem com a realidade brasileira. “A situação da saúde do Rio Grande do Norte é um absurdo, mas não é só na saúde. Segurança, habitação, educação, tudo está um caos. Vamos mostrar essa realidade. Natal é um município que não aguenta dois dias de chuva e teve um gasto enorme com a Copa. Falaram que a situação iria melhorar com a Copa do Mundo, mas nada mudou. Só a revolta da população que aumentou”.

Os manifestantes pretendem se concentrar no Midway e realizar uma caminhada pela Avenida Salgado Filho até as imediações da Arena das Dunas. Além do Sindsaúde, também já confirmaram participação no ato a Central Sindical e Popular – Conlutas (CSP), Assembleia Nacional dos Estudantes (Anel) e Movimento Passe Livre.

Apesar do protesto da tarde, na manhã desta segunda, Policiais Civis, Servidores do Itep e Guardas Municipais já iniciaram o dia de protestos. Eles saíram da Avenida Rio Branco, no Centro da Cidade e fizeram uma carreata até o Midway. Lá, realizaram uma panfletagem para mostrar as dificuldades que as categorias enfrentam para tentar manter o Estado seguro. O ato acabou causando um grande congestionamento na região.

Além das questões já citadas, o jogo entre Estados Unidos e Gana terá uma atenção redobrada por causa das inúmeras “celebridades” e autoridades que estarão acompanhando a partida. A cantora pop Katy Perry, o astro americano Leonardo DiCaprio, o vice-presidente americano, Joe Biden e o vice-presidente de Gana, Kwesi Amissah-Arthur são esperados no estádio. “Realmente isso traz uma preocupação. Por se tratar de um jogo dos Estados Unidos, que é uma potência mundial, ainda tem essa questão dessas autoridades e celebridades que estarão no jogo também. Porém, o esquema de segurança era o mesmo de todos os outros jogos. Faremos o mesmo esquema que fizemos no primeiro jogo (México x Camarões), mas claro que é um jogo que traz uma preocupação maior”.

Compartilhar:
    Publicidade