Policiais e Bombeiros Militares esperam negociar com Governo nesta sexta-feira

Caso não sejam atendidos em sua agenda de pendências com o Governo, PMs e bombeiros vão montar acampamento em frente à Governadoria e paralisar atividades

Praças_pretendem_paralisar_as_atividades_no_dia_27_caso_  nada seja feito pelo Governo quanto às suas reivindicações

Em assembleia realizada na tarde desta quinta-feira (22) na sede do clube Tiradentes, os praças da Polícia e Bombeiros Militares decidiram aguardar o resultado da reunião que acontecerá sexta-feira (23) às 16h com representantes do Governo do Estado, para decidir que rumo será dado ao movimento. Independente do resultado da reunião, no entanto, está mantida assembleia geral para as 9h do próximo sábado (25) em frente à Governadoria. Se o resultado da reunião com o Governo for favorável às demandas, os praças irão, na assembleia, definir os próximos passos para o acompanhamento dos assuntos. Se as demandas não forem atendidas como eles esperam, será montado acampamento em frente à Governadoria já a partir do sábado (24) e programada paralisação das atividades para a terça-feira (27).

A aprovação da Lei de Promoção de Praças pela Assembleia Legislativa ocorrida na terça-feira (20) é apenas um dos 11 pontos da pauta de assuntos que os praças esperam ter resolvidos com o Governo do Estado. Eles também têm como prioritária a reposição do subsídio em 56,7%, que há mais de dois anos não é feita pelo Estado. Além disso, os militares reivindicam o pagamento das diárias operacionais que estão em atraso, admissão de etapa alimentação como verba indenizatória, revisão da carga horária, complementação dos efetivos de acordo com o previsto nas leis de fixação, a partir da convocação dos 824 PMs concursados. Também pedem assistência à saúde psíquica dos policiais e bombeiros militares, uma vez que não há psiquiatras ativos no Hospital Coronel Pedro Germano (Hospital da Polícia) há anos, dentre outros pontos.

Compartilhar:
    Publicidade