Policiais à paisana estarão nos ônibus para tentar diminuir a quantidade de assaltos

Secretaria de Segurança do Estado também definiu outras metas para tentar diminuir a criminalidade

Cúpula da Segurança Pública do RN concedeu entrevista coletiva para falar de ações que serão realizadas. Uma nova reunião também foi  anunciada. Nenhuma palavra sobre a onda de arrastões que assustam a cidade. Foto: Wellington Rocha
Cúpula da Segurança Pública do RN
concedeu entrevista coletiva para falar de ações que serão realizadas. Uma nova reunião também foi
anunciada. Nenhuma palavra sobre a onda de arrastões que assustam a cidade. Foto: Wellington Rocha

Diego Hervani

diegohervani@gmail.com

 

Depois da morte do motorista de ônibus Francisco Izaque, de 37 anos, após um assalto na última sexta-feira (15), a Secretaria Estadual de Segurança e Defesa Social (Sesed), apresentou, nesta segunda-feira (18) algumas medidas para tentar inibir a ação dos criminosos contra os transportes coletivos.

A principal delas é que a partir de agora policiais militares à paisana passarão a andar nos ônibus. “Iremos analisar e colocar os policiais nesses ônibus. Na medida em que eles observarem alguma situação que possa gerar uma ação criminosa, eles de imediato irão entrar em contato com os policiais que estarão fardados. Feito isso, os PMs irão abordar esses transportes coletivos”, destacou o coronel Francisco Araújo, comandante geral da PM do Rio Grande do Norte.

Além dessa “novidade”, as abordagens aos ônibus também serão aumentadas. “Estamos estendendo os horários de trabalho do Bope e da Rocam, que são as unidades mais ostensivas. Além disso, o Bope, que é uma unidade utilizada em situações mais especiais, também estará fazendo esse trabalho de ronda ostensiva. Essas três unidades estarão funcionando durante todo o dia, inclusive durante a madrugada. Essas medidas não funcionarão apenas para a questão dos ônibus, como também dos assaltos aos estabelecimentos comerciais. Sabemos que as abordagens podem constranger a população, mas é uma ação necessária”, frisou coronel Araújo.

A Sesed também marcou uma reunião para às 17h desta segunda-feira com representantes dos rodoviários, empresas de ônibus, Ministério Público, Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob), além da Polícia Civil, Polícia Militar e Polícia Rodoviária Federal. Na ocasião, o titular da Sesed, Eliéser Girão, apresentará medidas que ele considera essenciais para diminuir a quantidade de assaltos aos transportes coletivos. “É preciso se utilizar a Bilhetagem Eletrônica, para fazer com que não circule mais dinheiro nos ônibus. As empresas também precisam colocar câmeras de segurança nos ônibus, como já acontece em outros Estados. Os bandidos ficam temerosos quando estão sendo filmados”.

Eliéser também reforçou a necessidade de que a população faça sua parte para prender os criminosos. “A população precisa fazer o Boletim de Ocorrência, assim podemos concentrar esforços onde mais estão acontecendo os crimes. Se a população não quiser fazer o BO, que ligue para o 181 (Disque Denúncia) e fale o que aconteceu. Mas precisamos ter um registro de onde e como o crime ocorreu”.

Na coletiva, o secretário apresentou os números de assaltos ocorridos em 2014. Segundo ele, o total foi de 363 entre 1º de janeiro de 2014 até 17 de agosto. A quantidade é diferente da apresentada pelo Sindicato dos Rodoviários do Rio Grande do Norte (Sintro-RN), que afirmou que de 1º de janeiro até 31 de julho, 490 assaltos tinham sido registrados em Natal e região Metropolitana, uma média que ultrapassa os 2,3 por dia. “Sinceramente eu não me lembro quando foi o último dia que não tivemos um assalto a ônibus em Natal. Infelizmente estamos vivendo em uma sociedade na qual o Governo não se importa com a segurança da população”, frisou Nastagnan Batista, presidente do Sintro-RN.

Toda essa “resposta” do Governo veio depois do assassinato do motorista Francisco Izaque. Na noite da última sexta (15), quando o ônibus dirigido por ele passava por Parnamirim, dois criminosos entraram no veículo se passando por passageiros e anunciaram o assalto. De acordo com a Polícia Militar, 40 pessoas estavam no alternativo no momento do crime. A dupla roubou os pertences dos passageiros, levou o dinheiro do ônibus e pediu ao motorista para parar o veículo. Mesmo com a ordem atendida, um dos suspeitos atirou em Francisco Izaque antes de descer do ônibus. Atingido na perna, o homem perdeu muito sangue e mesmo recebendo atendimento do Samu, não resistiu, morrendo no local.

Sobre o crime, o delegado geral da Polícia Civil, Adson Kepler, afirmou que as investigações avançaram. “Esse caso virou prioridade para a Polícia Civil. A Delegacia de Homicídios esteve no local logo depois do ocorrido, mas no dia as testemunhas tinham ido embora. Mas identificamos algumas pessoas através de um vídeo e na manhã desta segunda recolhemos alguns depoimentos. Estamos avançando e em breve teremos uma resposta positiva”.

Compartilhar:
    Publicidade