Política, economia e futebol

Em texto de Carla Jiménez para ‘El País’, jornal espanhol, a presidente do Ibope Inteligência, Marcia Cavallari, faz algumas considerações…

Em texto de Carla Jiménez para ‘El País’, jornal espanhol, a presidente do Ibope Inteligência, Marcia Cavallari, faz algumas considerações a respeito da sucessão presidencial no Brasil.

Seguem três selecionadas pelo birô da coluna:

1. Há expectativa de mudança no país, mas as pessoas não estão vendo na oposição quem possa representar esse sentimento;

2. Como nenhum adversário de Dilma Rousseff se apoderou da bandeira de transformação, o resultado das urnas é incerto;

3. Este é um dos anos mais atípicos para o país. Incertezas e inseguranças na economia e na política rondam o pensamento do eleitor.

Cavallari inclui a Copa do Mundo nas questões tormentosas. Além dos problemas de agora – a falta de estrutura para receber os visitantes, por exemplo -,o Mundial de Futebol provoca outra angústia na população. Refere-se ao desempenho da seleção nacional. O resultado pode definir a sorte da presidente Rousseff, em outubro, conforme a dirigente do instituto de pesquisa.

 

Caso é pendente

A propósito da pré-campanha no Distrito Federal.

Se a Justiça Eleitoral permitir, José Roberto Arruda (PR) tentará reconquistar o mandato de governador.

Ele está enquadrado na Lei da Ficha Limpa por improbidade administrativa e corrupção passiva.

Tem vice escolhida: Liliane Roriz (foto), deputada distrital filiada ao PSD (*).

Gim Argello (PTB) completaria a chapa como postulante à reeleição ao Senado.

(*) É filha do ex-senador Joaquim Roriz (PRTB), quatro vezes chefe do Executivo e colecionador de ações em tribunais regionais e superiores.

 

Fica para depois

O senador potiguar José Agripino vai direto ao assunto.

Presidente nacional do DEM, ele diz que o Palácio do Planalto vai segurar a tarifa de energia “porque estamos em ano eleitoral”.

Mais:

“A conta fica para o próximo governo.”

Que pode sobrar para a própria Dilma Rousseff, caso a Presidente chegue a outubro com os índices de intenção de voto detectados pelas sondagens de opinião.

 

Visita ao passado

Livro de revelações controversas chega ao leitor.

Trata-se de ‘Democracia e ditadura no Brasil’, assinado por Daniel Aarão Reis.

Páginas: 192. Preço em Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo: R$ 48.

O autor mostra o apoio de personagens como Juscelino Kubistchek, Ulysses Guimarães e Paulo Evaristo Arns, à época bispo de Petrópolis (RJ), ao golpe de 1964. Depois, fala da integração do trio à luta contra o regime liderado pelos militares.

Paulista conservador e um dos fundadores do MDB (depois, PMDB) , Ulysses, autodenominado Presidente da Oposição, teve papel importantíssimo na redemocratização do país.

 

– Delfim Netto integra o núcleo que apresentará sugestões do PMDB ao programa de governo da Presidente recandidata.

– O senador Cristovam Buarque (PDT-DF) aceitou a relatoria do projeto que legaliza o uso da maconha. Nem de longe, sinaliza sua posição.

– A senhora Rousseff participa da Cúpula Brasil-União Europeia, em Bruxelas. Começa segunda-feira (24). Dois dias antes, no Vaticano, assiste à cerimônia de ingresso do brasileiro Orani Tempesta no Colégio de Cardeais.

– Há 22 anos, o deputado Roberto Freire, pernambucano eleito por São Paulo, preside o PPS (ex-PCB). Age de acordo com o estatuto político-partidário da antiga URSS (União das Repúblicas Socialistas Soviéticas).

– Sábado, em Porto Alegre, Seminário Nacional do PSB. Simpatizante do projeto eleitoral de Eduardo Campos, o PP regional aguarda o apoio do presidenciável à candidatura da senadora Ana Amélia Lemos ao governo gaúcho.

– Confirmado para a próxima segunda-feira o lançamento da chapa do PSOL para o Executivo Federal. Titular: senador Randolfe Rodrigues (AP); vice, ex-deputada Luciana Genro (RS).

– Para refletir: “Se o que tens a dizer não é mais belo que o silêncio, então cala-te” (Pitágoras, filósofo e matemático grego).

Compartilhar:
    Publicidade