Porto-Ilha de Areia Branca retoma crescimento no embarque de sal

Enquanto em 2012 passaram 38 navios pelo Terminal Salineiro de Areia Branca, em 2013 atracaram 45 navios para embarque

A circulação de navios também cresceu em relação ao ano retrasado. Foto: Cedida
A circulação de navios também cresceu em relação ao ano retrasado. Foto: Cedida

O Terminal Salineiro de Areia Branca, que é administrado pela Companhia Docas do RN (Codern), fechou o ano de 2013 com um saldo positivo no volume de sal embarcado. Em comparação com 2012, o Porto-Ilha conseguiu movimentar um volume 23% superior em 2013, o que se atribui, dentre outros fatores, a medidas administrativas da Companhia para acelerar as operações envolvendo embarque de sal.

Em 2012 o Terminal Salineiro fechou o ano com 997,296 toneladas de sal embarcado. Já em 2013, após fechamento do balanço anual, a gerência administrativa da Codern em Areia Branca constatou um volume significativamente superior ao do ano anterior, chegando à ordem de 1.227 milhão de toneladas de sal movimentado pelo Porto-Ilha, o que acrescenta 229.704 toneladas em relação à movimentação de 2012.

A circulação de navios também cresceu em relação ao ano retrasado. Enquanto em 2012 passaram 38 navios pelo Terminal Salineiro de Areia Branca, em 2013 atracaram no Porto-Ilha 45 navios para embarque de sal.

O ano passado foi marcado por um crescimento que não acontecia desde 2008, ano a partir do qual o Terminal experimentou sucessivas quedas na produção e exportação de sal para o mercado interno e externo. A entrada do sal chileno no país e as constantes chuvas verificadas nesse período contribuíram para o desempenho abaixo do esperado, o que foi revertido no resultado da produção de 2013, graças a uma série de medidas tomadas pela Companhia Docas do RN na intenção de retomar o crescimento e recuperação econômica do Porto Ilha.

“O ano de 2013 representou para a gente um ano de grandes vitórias, entre elas o aumento do volume de sal embarcado, do fluxo de navios de grande porte, acima de 40 mil toneladas, a chegada de novos clientes. Além disso, as perspectivas para este ano de 2014 é que tenhamos esses números ainda maiores”, destaca a gerente do Terminal Salineiro de Areia Branca, Tássyla Talyne.

 

AMPLIAÇÃO

Uma das medidas tomadas pela administração do Porto-Ilha foi a ampliação do Terminal, iniciada em 2009 e finalizada em 2012. Na obra foram investidos R$ 278 milhões, recursos provenientes do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) do Governo Federal, para ampliação da plataforma, do cais de atracação, da capacidade de carregamento e armazenamento e aquisição de equipamentos. “Com esses investimentos a gente teve uma ampliação e vai fazer com que a ilha funcione de maneira completa, trabalhando com todos os carregadores de barcaça e toda a estrutura do Terminal”, afirma Tassyla.

Antes da reforma o Porto possuía uma plataforma com capacidade para 100 mil toneladas de sal, valor que subiu para 150 mil após ampliação. Além disso, o cais de atracação, que antes media 167 metros, hoje possui uma extensão de 267 metros, o que possibilita a atracação de mais navios simultaneamente. Já a capacidade de carregamento da ilha, que era de 1500 t/h (toneladas por hora), passou a ser de 2500 t/h.

Em 2013, para complementar o que foi ampliado, a Codern ainda adquiriu uma pá mecânica de grande porte, um trator de esteira e uma nova usina de geração de energia. Para esse último equipamento funcionar de forma plena o Porto-Ilha está passando por processo de adequação de sua estrutura. Segundo Tássyla, “a usina deve estar em pleno funcionamento até março de 2014, permitindo o funcionamento total da ilha”.

 

ADMINISTRAÇÃO

Além das medidas estruturais, foram tomadas ainda medidas administrativas, através de uma parceria entre a Companhia Docas do RN e o Senai de Santa Catarina. De acordo com o que explica a gerente do Terminal de sal de Areia Branca, um estudo de gestão estratégica elaborado pelo Senai para a Codern apontou uma série de metas que deveriam ser cumpridas pela empresa para que o terminal fosse viável economicamente.

“Passamos por estudos do Senai, em um programa de gestão estratégica, e hoje, para Areia Branca ser viável, a gente teria que ter uma produção de até 115 mil toneladas por mês, e é isso que a gente está conseguindo”, explica a gerente do Porto-Ilha.

NOVOS NEGÓCIOS

O sal que é produzido no Rio Grande do Norte sai do Terminal Salineiro de Areia Branca para três países e para o mercado interno. Os países que compram sal ao Terminal Salineiro são Nigéria Camarões e Canadá. Já no mercado interno, os clientes brasileiros são os portos de Santos, Paranaguá, Porto Alegre, Arraial do Cabo, Vitória e Pará.

Em 2013 o Porto-Ilha de Areia Branca conquistou dois novos clientes, que foram a Salina Diamante Branco e a Salinor. Já para 2014 a perspectiva é que a Ilha receba, já no início desse ano (a partir de fevereiro), mais um novo cliente, que é o Grupo Maranata.

Para o presidente da Codern, Pedro Terceiro de Melo, o resultado da movimentação em 2013 é um reflexo do trabalho realizado por toda a equipe que forma a Codern em Natal e Areia Branca. “Esse ano podemos verificar um crescimento importante para a Companhia. Foram feitos investimentos estruturais e administrativos e isso está resultando em números positivos no Porto-Ilha. E para 2014 a expectativa é de mais crescimento, já que as medidas para impulsionar a nossa produção já foram tomadas”, ressalta o presidente da Companhia.

Compartilhar:
    Publicidade