Potigás confirma gasoduto com criação de distrito industrial

Para garantir o fornecimento, o diretor Presidente da Potigás, Isaltino Guedes, informou que o Governo do Estado garantiu a construção do gasoduto de Goianinha a Baia Formosa, através da criação do distrito industrial, por meio do programa RN Sustentável

Foto:Divulgação
Foto:Divulgação

Um consumo de 40 mil m3/dia, no primeiro ano (2015), chegando a 80 mil m3/dia em 2016 e 120 mil m3/dia, a partir de 2017. Essa é a previsão de consumo do Grupo Elizabeth para instalação em Baia Formosa, confirmada na manhã desta quinta-feira (27), pelo diretor da empresa paraibana, José Nilson Crispim, participando de reunião com seu consultor, Heraldo Melo, em reunião com os diretores da Potigás, Isaltino Guedes (Presidente), e Taismar Zanini (Técnico e Comercial), na sede da Companhia Potiguar de Gás (Potigás), empresa do Governo do Estado e Petrobras.

Para garantir o fornecimento, o diretor Presidente da Potigás, Isaltino Guedes, informou que o Governo do Estado garantiu a construção do gasoduto de Goianinha a Baia Formosa, através da criação do distrito industrial, por meio do programa RN Sustentável. A previsão do investimento é de R$ 20 milhões.

“Vai ser criado um distrito industrial para viabilizar e proporcionar um novo pólo de desenvolvimento do Rio Grande do Norte. São novas empresas que começaram a investir na região e gerar emprego, renda, divisas para toda cadeia de serviços da localidade. A Secretaria de Desenvolvimento do Estado (SEDEC) será responsável pela condução do assunto”, comentou o presidente da Potigás.

Isaltino Guedes reforça que o Grupo Elizabeth além de chegar a consumir 120 mil m3/dia, no seu estágio de produção final, também está gerando 454 empregos diretos no Estado e sendo decisiva para geração de novas empresas para a região.

Na sexta-feira (21), a Potigás fez apresentação na Casa da Indústria, durante a primeira assembleia de 2014 da Fiern (Federação das Indústrias do Rio Grande do Norte), com a presença do Grupo Elizabeth. Foi uma oportunidade para tranquilizar o empresariado que o incentivo do Progás vai permanecer, baseado no decreto publicado no dia 18 de janeiro de 2014, no Diário Oficial, concedendo incentivo de R$ 24.910.150,05, entrando em vigor desde o dia 1º de janeiro.

Durante a apresentação, o presidente da Potigás reforçou o compromisso do Governo do Estado com os diretores da Elizabeth. “O atual contrato tem vigor até 30 de março de 2015, mas a governadora Rosalba Ciarlini confirmou que irá ainda este ano fazer um novo decreto renovando o incentivo, então garantimos aos empresários que o Progás continuará com os mesmos benefícios”, afirmou Isaltino.

O consultor do Grupo Elizabeth, Heraldo Melo, destacou a importância do gás natural para o empreendimento. “O gás será principal matéria-prima para nossa produção, com cerca de consumir 120.000 m3 de gás natural, por dia, por isso será primordial o benefício do Progás”, afirmou Melo.

Compartilhar: