Prazo para mensaleiros pagarem R$ 13,4 milhões em multas termina hoje

Valério terá de desembolsar R$ 4,44 milhões; família de Genoino diz que reuniu R$ 667,5 mil

Marcos Valérioteve a punição reajustada de R$ 3,06 milhões para R$ 4,44 milhões. Foto:Divulgação
Marcos Valérioteve a punição reajustada de R$ 3,06 milhões para R$ 4,44 milhões. Foto:Divulgação

O prazo final para o ex-deputado federal e ex-presidente do PT José Genoino e outros quatro condenados pelo esquema do mensalão pagarem as multas impostas pela Justiça termina nesta segunda-feira (20). O valor total da multa de Genoino, corrigida pela inflação pela VEP (Vara de Execuções Penais) do Distrito Federal, é de R$ 667,5 mil, e a família do petista diz que conseguiu reunir toda a quantia em vaquinha organizada pela internet.

Também terá de pagar sua multa o operador do esquema, o publicitário Marcos Valério, cuja punição foi reajustada neste mês, junto com a de outros colegas, de R$ 3,06 milhões para R$ 4,44 milhões. O ex-deputado Valdemar Costa Neto (PR), que havia sido sentenciado a pagar R$ 1,08 milhão, terá de desembolsar R$ 1,67 milhão.

Ramon Hollerbach e Cris­­­­­tiano Paz, ex-sócios de Marcos Valério, deverão arcar com R$ 3,9 milhões e R$ 2,6 milhões, respectivamente. Na época do julgamento, a multa para o primeiro era de R$ 2,8 milhões e para o segundo era de R$ 2,5 milhões. No total, os cinco deverão pagar R$ 13,4 milhões, em valores corrigidos neste mês com base no INPC (Índice Nacional de Preços ao Consu­­midor).

Como informou o jornal O Estado de S. Paulo, enquanto sua família e os amigos de Genoino se mobilizam para arrecadar os recursos, o ex-deputado alugou uma casa em uma região de classe média alta em Brasília no valor de R$ 4.000.

O imóvel tem 450 m² e servirá para hospedar o petista enquanto ele aguarda a definição do STF (Supremo Tribunal Federal) sobre sua prisão domiciliar.

No final de dezembro, o presidente do Supremo, ministro Joaquim Barbosa, estabeleceu um prazo de 90 dias, contados desde 21 de novembro, para Genoino ficar em prisão domiciliar em Brasília. O ministro rejeitou pedido de transferência para São Paulo, e o ex-deputado permanecerá em Brasília até nova avaliação médica.

Ao fim desse prazo, Barbosa decidirá, após reavaliação do estado de saúde do petista, se o ex-presidente do PT voltará a cumprir pena na prisão em regime semiaberto pela condenação por corrupção ativa.

Fonte:R7

Compartilhar:
    Publicidade