Prefeito cobra: “Câmara já devia ter votado a reforma administrativa”

A expectativa é que em três anos o município economize R$ 28,5 milhões

Carlos Eduardo enviou projeto no dia 12. Foto: Divulgação
Carlos Eduardo enviou projeto no dia 12. Foto: Divulgação

A Prefeitura de Natal apresentou a reforma administrativa para a Câmara Municipal somente no dia 10 de dezembro e, mesmo diante de uma pauta apertada com votação de Lei Orçamentária Anual (LOA), Plano Plurianual (PPA) e eleição para a Mesa Diretora, já cobra a votação da matéria. Pelo menos, o prefeito Carlos Eduardo Alves, do PDT, está cobrando isso.

“A Câmara já devia ter votado a reforma. Conversei com Júlio [Protásio, líder do prefeito no Legislativo] para que a votação fosse realizada. Porque a Prefeitura não vai convocar, o município está numa situação difícil”, disse Carlos Eduardo ao Portal NoAr, justificando que a Prefeitura não irá convocar a Câmara porque, se fizer isso, terá que pagar a hora extra dos vereadores e funcionários chamados.

O secretário municipal de Administração e Gestão Estratégica de Natal (Segelm), Dionísio Gomes, apresentou aos vereadores da capital potiguar na tarde do dia 10 o projeto de reforma administrativa, que foi enviado à Câmara só no dia 12. Pela proposta, serão extintas as estruturas das secretarias municipais de Relações Institucionais e Governanças Solidária (Serig), Políticas Públicas para as Mulheres (Semul), além da Empresa de de Segurança Alimentar e Nutricional (Alimentar).

A reforma ainda vai transformar a Ouvidoria Municipal em uma secretaria adjunta vinculada à Controladoria Geral do Município. A adoção dessas medidas acarretará na extinção de 212 cargos, promovendo uma economia anual de R$ 9,5 milhões. A expectativa é que em três anos o município economize R$ 28,5 milhões.

Dionísio Gomes destacou que o projeto final da reforma administrativa é resultado de um trabalho árduo que toda a equipe da secretaria de Administração, em conjunto com a Falconi Consultores, empresa que foi contratada para atuar na busca pela melhoria das condições financeiras para aumentar a capacidade de investimentos da Prefeitura do Natal. Para o titular da Segelm, essa medida dará mais qualidade e eficiência aos serviços oferecidos pelo poder executivo municipal: “Economizaremos dinheiro com alugueis de prédios para abrigar as secretarias, carros, combustíveis e pessoal”.

Compartilhar:
    Publicidade