Prefeitura instala 30 banheiros químicos em praias urbanas

Medida foi tomada após aditivo em contrato das feiras livres de Natal

Praia de Ponta Negra recebeu dez banheiros químicos, enquanto que no trecho entre as praias do Meio e do Forte foram instalados 12. Já na Redinha, os banhistas foram contemplados com oito unidades. Foto: Heracles Dantas
Praia de Ponta Negra recebeu dez banheiros químicos, enquanto que no trecho entre as praias do Meio e do Forte foram instalados 12. Já na Redinha, os banhistas foram contemplados com oito unidades. Foto: Heracles Dantas

Fernanda Souza
fernandasouzajh@gmail.com

Desde a última sexta-feira (10), cerca de 30 banheiros químicos estão distribuídos nas praias urbanas de Natal. Em Ponta Negra são dez unidades, sendo um com acessibilidade; no trecho entre a Praia do Meio e a Praia do Forte são doze, incluindo um com acessibilidade; e na Praia da Redinha são oito, sendo sete regulares e um com acessibilidade.

De acordo com o secretário municipal de Serviços Urbanos (Semsur), Raniere Barbosa, a implantação dos banheiros químicos foi possível graças a um aditivo feito no contrato das feiras livres da capital. “Pegamos o contrato das feiras e fizemos um aditivo para atender as praias, com um acréscimo de 25% do total. A cada 10 banheiros terá um com acessibilidade e está sendo realizado um trabalho efetivo de manutenção. Entre 05h e 09h é feita a sucção e entre 08h e 18h uma auxiliar de serviços gerais fará o trabalho de limpeza, lavagem e reposição de papeis higiênicos”, explicou.

Ainda segundo o titular da Semsur, os banheiros químicos foram uma solução encontrada para atenuar o antigo problema da falta de banheiros públicos nas praias de Natal, que será resolvido com a finalização das obras de urbanização da orla, previstas para serem entregues no mês de maio. “Serão 50 banheiros públicos, sendo 25 em Ponta Negra e mais 25 entre as praias dos Artistas e do Forte”, explicou Raniere Barbosa. O secretário também adiantou que ainda neste mês serão implantados lavabos nas feiras livres de Natal, medida que segue uma recomendação do Ministério Público. “Também vou ver se coloco lavabos nas praias”, completou.

Na manhã deste sábado (11), na praia de Ponta Negra, ambulantes, proprietários de quiosques e banhistas se demonstraram satisfeitos com os novos equipamentos. “Estávamos esperando há muito tempo, mas acho até pouco para a quantidade de pessoas que circula na praia. Há uns cinco anos já teve banheiros aqui, mas não sei porquê tiraram”, disse o  ambulante José Jorge de Lima, vendedor de bebidas na praia há mais de 15 anos.

João Carlos, que junto com a família trabalha em um dos quiosques de Ponta Negra, também ficou satisfeito com os novos equipamentos, mas lamentou a implantação tardia. “Até já teve banheiros por aqui, mas nunca foi na época correta. Em novembro já temos movimento, mas só agora colocaram. Apesar da queda de turistas por causa das obras, eles sempre reclamaram muito a falta de banheiros”.

O vendedor de coco Ledo Ferreira reforça que é comum a reclamação dos turistas. “Eles chegam e perguntam por banheiros e avisamos que não tem. É sempre assim”, disse. Gilson Henrique também fez parte do coro de reclamações generalizadas. “Agora ficou bom, porque a reclamação era geral e o pessoal tinha que pagar para ter acesso aos banheiros dos restaurantes”.

Já na Praia do Meio, apesar da boa receptividade com a disponibilização dos banheiros químicos, a segurança é um das reivindicações mais cobradas pelos frequentadores da praia. “Achei ótimo, porque antes as pessoas acabam tendo que se virar e procuravam o mar ou os restaurantes em frente. Mas é importante que estes banheiros sejam preservados, porque muita gente ao invés de manter acaba destruindo. Precisamos também de chuveiros de água doce e que ajeitem estes esgotos perto da praia. Não frequento tanta a Praia do Meio, mas quando venho mal vejo policiamento”, disse Agrinaldo da Cunha.

O turista Nelson Maciel, que veio de Rondônia, também se demonstrou satisfeito com os banheiros, mas cobrou mais segurança. “O poder público tem que atentar para investimentos em melhorias nas praias para não afastar a clientela. Esta é a primeira praia urbana que frequento, pois só conheci o litoral norte, mas até agora não vi nenhum policiamento”.

Compartilhar:
    Publicidade