Galo da Madrugada desmente notícia e afirma que bloco não acabará

Galo da Madrugada continuará firme e forte

Foliões consideram a saída do Galo a melhor parte do carnaval de rua do Recife. Foto:Divulgação
Foliões consideram a saída do Galo a melhor parte do carnaval de rua do Recife. Foto:Divulgação

A equipe do jhonline entrou em contato com a sede do bloco Galo da Madrugada e teve a confirmação de que a notícia veiculada em jornal de Pernambuco é inverídica.

O bloco não tem intenção alguma de encerrar suas atividades e continuará reinando no carnaval de Recife, arrastando multidões como faz desde 1978.

 

Leia abaixo a notícia publicada e confirmada pelos diretores do Galo da Madrugada como inverídica:

 

Além de vetar a concentração de algumas prévias carnavalescas já estabelecidas e de adicionar traços conservadores ao carnaval do Recife, limitando-o a funcionar até as duas da manhã, a prefeitura anunciou, para escândalo nacional e tristeza dos assíduos foliões, o fim das atividades do tradicional Galo da Madrugada.

No último ano de sua existência, o Galo fará homenagem à Cinderela. “Com essa coisa de limitar o horário do carnaval, me inspirei na Cinderela. Da Disney, né? [risos] A Fada-madrinha (o prefeito) avisou que a festa deve acabar antes das duas da matina, ou toda a mágica irá se desfazer aos olhos de todos, sob a égide da polícia. Creio ser uma boa releitura”, afirmou Romero Britto, design da “Galinderela”.

Fundado em janeiro de 1978, O Galo entrou para o Guinness Book como o maior bloco de carnaval do mundo (ao menos o maior da América Latina).

“Nós entendemos que o carnaval precisa tomar rumos apolíneos e encher-se de medida. O país já passa por um grande carnaval de horrores nas madrugadas com a atividade de Black Blocks e vândalos pré-Copa. Madrugada e carnaval não têm mais nada a ver. Se dependesse apenas da nossa vontade, à meia-noite acabava essa balbúrdia que o Estado precisa patrocinar. Faz-se mister um toque de recolher para que possamos garantir a segurança de todos”, afirmou Valter Lins, representante do Ministério Público de Pernambuco.

Fonte: Diário de Pernambuco

Compartilhar:
    Publicidade