Prepare seu planejamento financeiro para acompanhar a Copa do Mundo no Brasil

Grande parte da população não é educada financeiramente e, por esse motivo, tem dificuldade em organizar as finanças

"A quantidade que sai nunca pode ser maior do que a que entra", diz o educador. Foto:Divulgação
“A quantidade que sai nunca pode ser maior do que a que entra”, diz o educador. Foto:Divulgação

Depois de passar por diversos países, chegou a vez de o Brasil sediar a Copa do Mundo. A ocasião já está mexendo significativamente com a economia do país e, por isso, está mais do que na hora de os brasileiros começarem a se planejar para esse megaevento, que ocorre no meio do ano.

Como já foi definido, três jogos da seleção brasileira serão realizados em dias úteis, e, se o time for para a fase final, haverá mais um feriado no país. Nesse período, a população estará focada nos jogos, em ritmo de comemoração, o que significa aumento de gastos, desde compra de eletrônicos – como uma TV nova, por exemplo – até alimentação. Segundo o Educador Financeiro DSOP Ricardo Geiger, a copa é um evento muito importante, mas não deve desestabilizar nosso bolso.

No entanto, o que é para ser diversão pode facilmente se tornar um pesadelo se não for bem planejado, contribuindo para o aumento dos índices de endividamento e inadimplência do país. Por isso, o primeiro passo é saber da real situação financeira em que se encontra (endividado, equilibrado financeiramente ou investidor). “Antes de qualquer gasto, verifique se é uma necessidade ou um desejo”, comenta Geiger.

Grande parte da população não é educada financeiramente e, por esse motivo, tem dificuldade em organizar as finanças. Então, após tomar ciência da condição financeira, há outros pontos a serem levados em consideração. É preciso ponderar, pois, caso contrário, as pessoas são tomadas pela animação do momento e acabam comprando mais do que podem e precisam. “Uma necessidade tem que ser atendida, já um desejo pode esperar. Faça um levantamento de quanto está gastando mensalmente e compare com os seus rendimentos. A quantidade que sai nunca pode ser maior do que a que entra”, explica o educador.

Caso não haja essa preocupação agora, as consequências poderão ser negativas e duradouras, comprometendo o orçamento financeiro pessoal/familiar durante meses. Além disso, não se pode esquecer que, daqui dois anos, o país será palco de mais um grande evento esportivo: as Olimpíadas. Portanto, esse é um ótimo momento para já começar a se educar financeiramente, mudando os hábitos com relação ao uso e à administração do dinheiro.

Para o educador, sabendo usar não vai faltar. “Nunca compre por impulso. Programe seus gastos e você terá um futuro muito melhor e mais tranquilo”.

Veja algumas dicas da DSOP Educação Financeira

  1. Caso não tenha conseguido ingressos para assistir os jogos da Copa, não cometa loucuras, pagando exorbitâncias para cambistas. Além de ser um crime, há o risco de ser falsificado e dos valores descontrolarem as contas da família;
  2. Se for viajar para outra cidade para assistir aos jogos, pesquise com antecedência passagens e estadia. Os preços já estão exorbitantes e ficarão ainda maiores para quem deixar para a última hora;
  3. Estabeleça valores a serem gastos no período, separando uma quantia que não trará grande impacto no orçamento dos próximos meses;
  4. Uma boa pedida é se planejar com antecedência para assistir aos jogos com amigos. É preciso levantar o que será servido: bebidas e comidas, quanto será investido de dinheiro e, então, dividir com todos. Esse é um evento coletivo, não só para os jogadores, mas também para os que assistem e curtem;
  5. Não é por causa da Copa que precisa trocar todos os eletrônicos (TV, computador, celular, som, etc.). Acalme-se e nada de ansiedade, talvez, este momento não seja uma boa hora para isso. Mas, se realmente achar necessário, pesquise na internet e em diversas lojas em busca do melhor preço.
Compartilhar: