Preservativos recheados de cocaína são interceptados a caminho do Vaticano

A encomenda foi confiscada pela alfândega alemã antes de chegar ao destino final

Qualquer um dos 800 residentes no Vaticano poderia receber a encomenda. Foto:Divulgação
Qualquer um dos 800 residentes no Vaticano poderia receber a encomenda. Foto:Divulgação

Se a última encomenda para o Vaticano tivesse chegado a seu destinatário, o Papa Francisco com certeza não teria ficado feliz. A alfândega da Alemanha interceptou cerca de 350 ml de cocaína líquida com destino à cidade-estado, uma quantidade cujo valor de mercado gira em torno de R$ 128 mil (40 mil euros).

Para a alegria (ou não) da cidade-estado, a encomenda ainda por cima vinha dentro de 14 camisinhas, algo cuja utilização ainda não foi aprovada nem mesmo pelo papa Francisco, o pontífice mais liberal que a Igreja Católica já teve.

Segundo informações do jornal britânico The Independent, funcionários do aeroporto de Leipzig, na Alemanha, encontraram os preservativos dentro de almofadas vindas da América do Sul. A encomenda estava endereçada apenas à caixa-postal do Vaticano, o que significa que qualquer um dos 800 residentes poderia retirá-la.

Os oficiais alemães enviaram o pacote à polícia do Vaticano para que ela pudesse encontrar o destinatário das camisinhas, mas o plano, até agora, não deu certo. As autoridades criaram uma armadilha para encontrar o traficante, mas, como ninguém apareceu, imaginam que alguém tenha lhe contado o plano.

O porta-voz do Vaticano, Rev. Federico Lombardi, confirmou que a polícia do Vaticano cooperou com a alemã na tentativa de identificar o destinatário. A investigação ainda não foi concluída.

Fonte:R7

Compartilhar:
    Publicidade