Presidente do Corinthians xinga árbitro, relata elenco revoltado e vai à CBF

Corinthians e Fluminense empataram em 1 a 1

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Depois de seguidas reclamações do técnico Mano Menezes, foi a vez do presidente do Corinthians, Mário Gobbi Filho, soltar os cachorros após o empate por 1 a 1 com o Fluminense, neste domingo, na Arena Corinthians, pelo Brasileirão. O mandatário xingou o juiz Paulo Godoy Bezerra, que substituiu Sando Meira Ricci, que se lesionou na véspera do duelo e foi trocado.

“O árbitro de hoje (domingo) é um incompetente, é um burro chucro. É isso que ele fez na Arena Corinthians. Eu quero meus dois pontos! O que estou gastando para montar esse time? Ele parecia um boi solto, nem sabia o que ele apitava. Foi uma coisa horrível. Todas as bolas para o Elias, ele deu contra. Todas. Tudo tem limite”, disparou Gobbi.

No domingo passado, na derrota por 2 a 1 para o Grêmio, na Arena Grêmio, Mano havia falado de uma suposta perseguição de Heber Roberto Lopes contra o Corinthians. O presidente classificou aquela arbitragem como “brincadeira de criança”.

“O Heber Roberto Lopes, no jogo do domingo passado, em Porto Alegre, foi uma brincadeira de criança. Tudo isso tem um limite. Vou falar pessoalmente, vou por no papel, se não mudar, vamos tomar outras medidas. Quem está cansado é a diretoria do Corinthians. Dentro do vestiário, o Mano põe panos quentes, eu ponho panos quentes, a gente conversa… Mas o jogador está inconformado com o tratamento desigual que os jogadores do Corinthians recebem dentro das partidas”. disse.

De acordo com Gobbi, o Corinthians vai entrar em contrato com a CBF para reclamar formalmente da arbitragem. Ele repetiu o termo de Mano no passado, dizendo que está tudo muito “estranho”, e ainda citou o episódio de Petros, que foi suspenso por 180 dias pelo STJD por uma agressão ao árbitro Raphael Claus, no clássico diante do Santos.

“Nós não estamos felizes, não merecemos isso. Teve um jogador nosso que cometeu uma falha, o Tribunal julgou, nós acatamos a decisão, temos o direito de recorrer, recorremos, tudo isso dentro de uma legalidade, dentro de um tratamento cordial, mas está ficando muito estranho a quantidade de erros em desfavor do Corinthians. Vou falar com o presidente José Maria Marin (presidente da CBF), vou falar com o presidente Marco Polo (atual vice e presidente eleito), com o presidente da Comissão de Arbitragem (Sergio Correa), porque assim fica difícil seguir na competição. Está muito ruim, a torcida desde do Amarilla (eliminação nas oitavas de final para o Boca Juniors na Libertadores do ano passado) não se manifesta como se manifestou hoje aqui na Arena”, ressaltou.

Fonte: Terra

Compartilhar:
    Publicidade