Presidente da CNPA comemora recorde da produção nacional em 2013

O presidente da Confederação Nacional de Pescadores e Aquicultores (CNPA), Abraão Lincoln, comemorou o resultado da produção brasileira de pescado…

Produção de pescados em 2013 baterá a casa dos 2 milhões de toneladas. Foto:Divulgação
Produção de pescados em 2013 baterá a casa dos 2 milhões de toneladas. Foto:Divulgação

O presidente da Confederação Nacional de Pescadores e Aquicultores (CNPA), Abraão Lincoln, comemorou o resultado da produção brasileira de pescado em 2013, que caminha para bater a casa dos dois milhões de toneladas. Os números foram anunciados pelo ministro Marcelo Crivella, em Brasília, durante o lançamento do Plano Nacional de Combate à Pesca Ilegal, evento que contou com a participação e o apoio da Confederação Nacional.

“Antecipamos em quase um ano o resultado de um projeto sério que vem sendo desenvolvido. Tudo isso só estava programado para 2014, na etapa final do Plano da Safra da Pesca e Aquicultura. Mas graças ao trabalho de profissionais abnegados da pesca e ao apoio do Ministério podemos fechar o ano de 2013 com esta grande notícia”, comemorou Abraão Lincoln.

“A aquicultura brasileira vai produzir, pela primeira vez na história, em 2013, mais pescado do que a pesca extrativa”, anunciou o ministro Marcelo Crivella. No lançamento do Plano Nacional de Combate à Pesca Ilegal, Crivella destacou a união de esforços de pastas e órgãos do Governo Federal para combater a pesca predatória.

Aumento expressivo

Um salto de proporções semelhantes ocorreu entre 2010 e 2011, quando a aquicultura nacional cresceu 31%. A produção aquícola ocorre em tanques rede (gaiolas) em reservatórios e no litoral ou em viveiros escavados em propriedades rurais. Os principais peixes criados são a tilápia, o tambaqui e a carpa. No litoral também são criados frutos do mar, como mexilhões e ostras.

Atualmente o Brasil conta com 16 mil aquicultores incluídos no Registro Geral de Pesca do MPA, 1.000% a mais do que há apenas cinco anos. A demanda por ração tem aumentado fortemente nos últimos anos, bem como a procura por alevinos – os filhotes de peixe. A aquicultura estimula a agricultura nacional, com a produção de soja e milho para a ração. Segundo o ministro, os próximos levantamentos da aquicultura serão realizados pelo IBGE, em sua Pesquisa Pecuária Municipal (PPM).

Plano Safra

O ministro Crivella lembrou que já foram contratados mais de R$ 500 milhões pelo Plano Safra. O Governo Federal acredita que este volume de financiamento, em condições favoráveis ao produtor, deve aumentar no próximo ano. Outro ponto abordado por Crivella foi o recadastramento dos pescadores profissionais brasileiros. A operação vai evitar fraudes na concessão de seguro defeso, no período de reprodução do pescado, quando os profissionais ficam inativos.

Até o momento, anunciou o ministro, já foram suspensas 229.143 carteiras de pescador. A eliminação dos falsos pescadores representa forte economia para os cofres públicos. O recadastramento, feito a partir da data de aniversário do pescador, deve ser concluído em novembro de 2014.

Expansão contínua

A aquicultura nacional deve continuar a crescer acelerado nos próximos anos. O MPA estima que a produção aquícola aumentará 40% em 2014, com a participação de novos piscicultores e a entrada em atividade de novos parques aquícolas, que poderão produzir juntos mais 200 mil toneladas de pescado por ano.

Hoje muitos parques aquícolas – locais demarcados nos reservatórios para a criação de peixes em gaiolas – estão em produção, como ocorre em Itaparica (PE/BA), Serra da Mesa (GO), Xingó (SE e AL), Três Marias (MG) e Moxotó (PE/BA).

O potencial brasileiro para a criação de pescado é um dos maiores do mundo. O País conta com 13% da água doce do planeta, extenso litoral, espécies promissoras e condições para produzir grãos, ou seja, ração. Mercado é o que não falta. No Brasil, o consumo cresce ano a ano. No mundo, o pescado é a proteína animal mais consumida.

Fonte:Assessoria

Compartilhar: