Presidente da Nigéria intervém para evitar greve da seleção na Copa

Ministro dos esportes virá ao Brasil com o dinheiro para os jogadores

Nigéria está classificada para as oitavas de final da Copa do Mundo. Foto: Divulgação
Nigéria está classificada para as oitavas de final da Copa do Mundo. Foto: DivulgaçãoVAS 

O presidente da Nigéria Goodluck Jonathan interveio nesta sexta-feira para tentar pôr fim à ameaça de greve dos jogadores da seleção de seu país. A equipe nacional está classificada às oitavas de final da Copa do Mundo e joga na próxima segunda-feira, em Brasília, contra a França.

Os jogadores cobravam o recebimento imediato do dinheiro das gratificações estipuladas no caso do grupo passar a esta fase, de acordo com o site “kickoffnigeria.com”. A situação chegou a tal extremo que os jogadores se negaram a treinar na última quinta e ameaçaram não viajar a Brasília para disputar o duelo com a França.

Para acalmar os ânimos, o presidente Goodluck Jonathan ligou para representantes da seleção para garantir pessoalmente aos jogadores que o ministro dos Esportes Tamuno Danagogo irá ao Brasil com o dinheiro.

No ano passado, aconteceu uma situação similar, quando a seleção da Nigéria chegou com atraso ao Brasil para participar da Copa das Confederações também devido a uma falta de acordo sobre o pagamento de uma premiação.

Naquela ocasião, os jogadores estavam irritados porque a Federação de Futebol da Nigéria só quis lhes dar a metade dos US$ 5 milhões (R$ 11 milhões) prometidos.

Após os casos de Camarões e Gana, esta é a terceira seleção africana que ameaça boicotar sua participação no Mundial por desavenças econômicas.

Fonte: Terra

Compartilhar:
    Publicidade