Presidente do Santos é atacado por grupo e tem carro quebrado

Não houve pedras e paus. Ofenderam, jogaram água e cuspiram, mas não foi a primeira vez que isso aconteceu

Presidente santista Odílio Rodrigues e alta cúpula da diretoria, em maus lençois com o torcedor. Foto: Diivulgação
Presidente santista Odílio Rodrigues e alta cúpula da diretoria, em maus lençois com o torcedor. Foto: Diivulgação

Mesmo com a goleada do Santos contra o arquirrival Corinthians por 5 a 1 na última quarta-feira, na Vila Belmiro, a diretoria do clube não escapou de protestos.

O UOL, empresa controlada pelo Grupo Folha, que edita a Folha, apurou que o presidente Odílio Rodrigues, seus familiares e mais alguns integrantes do Comitê Gestor foram atacados por um grupo de cerca de dez pessoas após a partida.

O ataque ocorreu na saída da van do clube que leva a diretoria da Vila Belmiro ao CT Rei Pelé, onde ficam os veículos particulares de dirigentes e atletas. Os vândalos quebraram a van, jogando objetos e entraram em combate com os seguranças do presidente, que evitaram agressões mais sérias.

O bando atacou o presidente para cobrar explicações sobre a polêmica transferência de Neymar para o Barcelona, da Espanha. Eles pediram que a diretoria renunciasse ao cargo. Por conta do ataque, o Comitê Gestor convocou uma reunião urgente na manhã desta quinta-feira, mas o assunto renúncia não foi discutido.

Integrantes da diretoria santista compararam o caso com os protestos que ocorrem em São Paulo e no exterior. “Democracia pode existir, mas o que não pode são a participação de vândalos e agressores”, disse um diretor que prefere não se identificar.

Os dirigentes santistas, inclusive, lembraram que o Santos goleou o Corinthians e mesmo assim não escaparam do ataque. “Imagina se não tivéssemos goleado por 5 a 1?”, completou.

A assessoria de imprensa do Santos confirmou o ataque e, inclusive, que o veículo foi quebrado. O clube alega que os agressores não são torcedores e também disse que ninguém se machucou.

Compartilhar:
    Publicidade