Presídio tem festas com churrasco, uísque, cerveja e presença vip de prostitutas

As denúncias em torno de privilégios em presídios alagoanos são antigas

Presos acessavam Facebook pelo celular e bebiam uísque em garrafas d'água. Foto: Divulgação
Presos acessavam Facebook pelo celular e bebiam uísque em garrafas d’água. Foto: Divulgação

Em inspeção realizada por agentes penitenciários, a mando da Superintendência Geral de Administração Penitenciária (SGAP), descobriu que presos de Alagoas vivem sob privilégios no Presídio de Segurança Máxima. Das celas, eles acessavam Facebook através de celulares e tomavam uísque em garrafas de água mineral. O caso está sendo investigado pelo Ministério Público.

De acordo com a assessoria de imprensa da superintendência, os presos terão de explicar como tinham celulares com acesso à internet e compravam a bebida.

Esta é a segunda denúncia de privilégios no mesmo presídio em menos de três dias. No domingo, o Sindicato dos Agentes Penitenciários flagrou uma festa no presídio Baldomero Cavalcanti. Além de frigobar e TV de plasma, os presos consumiram 15 caixas de latas de cerveja. O sindicato tirou fotos.

“Para nós, isso é sabotagem feita pelo Estado”, disse o presidente do sindicato, Jarbas de Souza. “Eles estão desmontando a segurança nas unidades, desviando os agentes de função, não fazem concurso público, contratam pessoal sem o menor controle”, disse Jarbas.

A chefe de gabinete da Secretaria de Ressocialização e Inclusão Social, órgão ao qual a SGAP é ligada, Cintia Moreno, disse que as denúncias de Jarbas não têm cabimento. ”A unidade prisional é gerenciada por agentes penitenciários concursados. Infelizmente, aconteceu esta apreensão, fizemos as revistas semanais e encontramos. A unidade não tem câmeras de filmagem. Abrimos procedimento para apurar. Não podemos acusar A ou B”, disse.

As denúncias em torno de privilégios em presídios alagoanos são antigas. Em 14 de junho de 2009, foi mostrado que presos do presídio Cyridião Durval recebiam até prostitutas dentro das celas. Além das festas, com churrasco, aparelhos de som, TVs de plasma, videogame, armas, crack e maconha.

Em dezembro de 2011, a Justiça autorizou que políticos presos – entre eles o atual deputado federal Francisco Tenório (PMN) – organizassem uma festa de Natal na carceragem da Casa de Custódia, em Maceió. Com as famílias reunidas, eles postaram as fotos no Facebook.

Fonte: Terra

Compartilhar: