Preso integrantes de quadrilha especializada em golpes no comércio

Segundo as investigações, os acusados são apontados como integrantes de um grupo criminoso de golpistas

Delegacia de defraudações de Mossoró deflagra operação “06 de Janeiro”. Foto: Divulgação
Delegacia de defraudações de Mossoró deflagra operação “06 de Janeiro”. Foto: Divulgação

A equipe de policiais civis da Delegacia Especializada em Falsificações e Defraudações (DEFD) de Mossoró  deflagrou a “Operação 06 de Janeiro”, com o objetivo de cumprir 03 mandados de Prisão Preventiva e 02 mandados de Busca e Apreensão, expedidos pelo Juiz da 4ª Vara Criminal desta Comarca. Na ação, foram presos Gutemberg Alfredo da Silva, 40 anos, Francisco Robson Fernandes, 34 anos, e Alison de Souza Bezerra, 23 anos, acusados de praticarem golpes no comércio de Mossoró-RN.

Segundo as investigações feitas pela Polícia Civil, os acusados são apontados como integrantes de um grupo criminoso de golpistas que operacionalizava compras e/ou locações de mercadorias e produtos ofertados por comerciantes mossoroenses, utilizando-se ainda de cheques de origem ilícita, ou não devolvendo a mercadoria alugada, obtendo assim vantagem indevida, beneficiando-se com os objetos fraudulentamente adquiridos.

De acordo com o titular da Especializada, delegado José Vieira, o mentor Gutemberg Alfredo era quem comandava, coordenava e dava as ordens para que o executor Francisco Robson deslocasse aos estabelecimentos comerciais e efetuasse negociações fraudulentas. Já Alison dava suporte logístico, carregava as mercadorias e dirigia o veículo cedido pelo mentor para que Francisco pudesse se deslocar aos comércios. Além disso, estão sendo investigados os receptadores das mercadorias, os quais não tiveram os nomes divulgados para preservar o sigilo das investigações.

“O modo de agir da quadrilha era quase sempre mesmo: o chefe discriminava as mercadorias que deveriam ser adquiridas fraudulentamente, bem como fazia os orçamentos delas, e determinava ao executor e ao operário que fossem a determinados comércios desta cidade a fim de comprar e/ou locar essas mercadorias. Em seguida, os executores ou compravam com cheques fraudulentos ou locavam objetos, davam um endereço de residências, as quais eram alugadas por apenas um ou dois dias, justamente e somente para serem descarregados os objetos, visando com isso despistar os comerciantes, e posteriormente, quando as mercadorias se encontravam nesses imóveis, surgia a atuação do mentor que iria buscá-las”, explicou o delegado.

Ainda segundo o titular da Delegacia de Defraudações de Mossoró, a operação se iniciou no dia 20 de dezembro de 2013 e terminou neste dia 02 de janeiro, com a prisão do último integrante que estava foragido.

Compartilhar: