Primeira etapa da Alameda Sabino será concluída ainda neste mês de fevereiro

A primeira etapa contempla a Rua João XXIII com a construção da Rua Verde e recuperação da praça no entorno da Igreja

O projeto prevê a urbanização do espaço com conceitos de sustentabilidade e contará com área de eventos, parque infantil, mesas com jogos de tabuleiros e outros. Foto: Wellington Rocha
O projeto prevê a urbanização do espaço com conceitos de sustentabilidade e contará com área de eventos, parque infantil, mesas com jogos de tabuleiros e outros. Foto: Wellington Rocha

Com obras iniciadas no final de maio do ano passado, o projeto ‘Rua Verde: Alameda Padre Sabino’, no bairro de Mãe Luíza, terá sua primeira etapa concluída ainda neste mês de fevereiro. O projeto prevê a urbanização das áreas laterais da Igreja de Nossa Senhora da Conceição com conceitos de sustentabilidade e acessibilidade e alameda terá uma área de 2.017,29 m² e com 228,91m de extensão e contará com área de eventos, parque infantil, minilargo, mesas com jogos de tabuleiros, bicicletário, iluminação de baixo consumo de energia, piso permeável e estacionamento.

O espaço também ganhará calçadas acessíveis, respeitando as normas de acessibilidade. A feira livre, que acontece uma vez por semana ao lado da igreja, também está contemplada pelo projeto e está sendo disponibilizado um largo com piso permeável e bancas seguindo o padrão projetado pela Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semsur) junto ao Ministério Público.

O comerciante Edson Carlos acompanha a obra desde o início e conta que acha pequena a movimentação de profissionais na obra. “Disseram que eram seis meses de obras, mas já passou do prazo. No início o ritmo estava até bom, mas hoje em dia só vejo uns dois pedreiros e o resto são auxiliares. Acho tudo muito lento”, disse.

Já o vigilante Lenildo Tavares diz que o maior temor da comunidade é que o espaço fique inacabado como outras obras públicas, que iniciam e não tem data prevista para ser entregue. “Espero que isto não aconteça porque somos carentes de equipamentos de lazer e esta obra é muito importante para o bairro, principalmente para as crianças”.

O pedreiro José Alaciedo, que faz parte da equipe de profissionais da construtora responsável pela obra, explicou que atualmente trabalham 12 pessoas, sendo três pedreiros e nove auxiliares.

De acordo com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb), que elaborou o projeto a partir de discussões com a própria comunidade, a obra é dividida em três etapas, sendo que a primeira será entregue ainda neste mês de fevereiro. Segundo informações da assessoria de comunicação do órgão, a primeira etapa contempla a Rua João XXIII com a construção da Rua Verde e recuperação da praça no entorno da Igreja.

Os pisos serão permeáveis, com paginação em cores diferentes, na área onde é montada a feirinha do bairro, e estão sendo colocados corrimãos, rampas e recuperação do palco, além da iluminação em LED. Já a segunda etapa está sendo discutida junto com a comunidade e orçamento está em fase de elaboração, mas será na Travessa João XXIII e é voltada para a reorganização de calçadas de acordo com as normas de acessibilidade vigentes. Também será criada a ‘Arcadas de Memória” com exposição de imagens de Mãe Luíza no passado, e o ‘Banco de Livre de Obras’, que é uma espécie de biblioteca comunitária ao ar livre. A última e terceira etapa ainda está em discussão com os moradores do bairro e os projetos se encontram em fase de desenvolvimento.

Compartilhar: