Primeiras horas de abordagens da PM terminam sem assaltos a ônibus em Natal

Polícia Militar intensificou ações em transportes coletivos para diminuir os índices de violência

Foto: José Aldenir
Foto: José Aldenir

Diego Hervani

diegohervani@gmail.com

 

Desde a tarde desta segunda-feira (18), a população de Natal, principalmente aquela parte que utiliza o transporte coletivo, teve sua rotina modificada no tocante à segurança. Na tentativa de diminuir os índices de assaltos a ônibus, a Polícia Militar iniciou a chamada “Operação Saturação”, onde os passageiros passam por uma “revista”.

Pelo menos no primeiro dia, o resultado dessa ação foi positivo. “Ontem mesmo, da manhã até o início das abordagens, tivemos cinco assaltos a ônibus. Depois do início das abordagens, não tivemos nenhum registro de assaltos”, destacou Oswaldo Furtado, diretor do Sindicato dos Rodoviários do Rio Grande do Norte (Sintro-RN). As abordagens, que são feitas através de barreiras montadas pela polícia, aconteceram na Avenida Bernardo Vieira, Rua Doutor Mário Negócio, Ponte de Igapó, Avenida Bom Pastor e Avenida Prudente de Morais.

Nessa última a PM prendeu três homens que estavam de posse de um veículo roubado. Os policiais receberam a informação de que uma pessoa tinha sido assaltada nas proximidades e conseguiram interceptar o carro. “Nós estamos fazendo essas abordagens em locais estratégicos. Locais onde sabemos que está ocorrendo um maior número de assaltos”, afirmou o coronel Francisco Araújo, comandante geral da PM do Estado. Segundo Oswaldo Furtado, a PM já tinha realizado operações desse tipo em outras oportunidades e o resultado foi bastante significativo. “Durante o período que eles fizeram (as abordagens), a diminuição foi bem significante. Na época, saímos de quase seis assaltos por dia para um e até mesmo dias que nós não tínhamos nenhum”.

Ainda de acordo com o dirigente, agora a expectativa é que essas ações continuem por tempo indeterminado. “Nós tivemos uma reunião com o Governo na tarde de ontem (segunda) e realmente gostamos do que foi mostrado em relação à segurança. Agora queremos que isso saia do papel e vá para as ruas. Com as abordagens de ontem nós já tivemos uma boa resposta, pois os bandidos ficam inibidos com a possibilidade de serem pegos. Porém, isso tem que continuar. Não é para se fazer essas abordagens durante algum tempo e depois parar, como aconteceu outras vezes e terminou com a morte de um motorista. Se essas abordagens continuarem, tenho certeza que a situação irá melhorar”.

Apesar de concordar que as abordagens aos transportes coletivos são importantes para diminuir a violência, Oswaldo frisa que só isso não é o suficiente. “O que o pessoal que trabalha nos transportes coletivos percebe é que uma das medidas mais importantes é fazer revistas também nas próprias paradas de ônibus. Pois em quase todos os casos os criminosos entram nos ônibus quando pedem parada nesses locais”.

As abordagens nas paradas de ônibus também fazem parte do “plano de segurança” que a PM tem desenvolvido. “Também iremos ter um policial à paisana dentro dos ônibus. Ele irá comunicar qualquer atitude suspeita para que a PM envie uma viatura até o local. Temos todo o mapeamento de onde e como acontecem esses crimes. O nosso setor de inteligência trabalhou junto com o setor de ronda ostensiva e vamos trazer um retorno positivo para a população. Foi uma determinação do secretário que essas abordagens não sejam apenas uma situação passageira, mas sim rotineira”, comentou o coronel Araújo.

Em coletiva nesta segunda-feira, o comandante geral da PM informou que a Ronda Ostensiva com Apoio de Motocicletas (Rocam), Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) e Batalhão de Polícia de Choque (BPchoque) tiveram seus expedientes prolongados. Além disso, o secretário de segurança do Estado, Eliéser Girão, afirmou que irá tentar soluções com o Ministério Público e empresários. “É preciso se utilizar a Bilhetagem Eletrônica, para fazer com que não circule mais dinheiro nos ônibus. As empresas também precisam colocar câmeras de segurança nos ônibus, como já acontece em outros Estados. Os bandidos ficam temerosos quando estão sendo filmados”.

Compartilhar:
    Publicidade