Principal ponto turístico de Natal, acredite, tem assalto todo santo dia

Relatos confirmam que criminosos atuam diariamente no local

Assalto-na-escadaria-de-Ponta-Negra-HD

Diego Hervani

Repórter

Quando se fala das belezas de Natal, o primeiro local que turistas e moradores lembram é da praia de Ponta Negra, Zona Sul da cidade, que tem o Morro do Careca como maior atrativo. Porém, nem mesmo o principal cartão postal da capital potiguar escapa da violência no Rio Grande do Norte.

Assaltos, furtos, ameaças e os mais diversos tipos de ações criminosas acontecem praticamente todos os dias na orla da praia, principalmente nas proximidades do Morro do Careca, onde as escadarias que foram construídas para facilitar o acesso das pessoas estão sendo utilizadas como rota de fuga dos meliantes. “Eles (bandidos) ficam nas escadarias só esperando o melhor momento para atacar. Todos os dias acontecem assaltos aqui. Não tem erro. Dois ou três assaltos por dia. Eles assaltam em todos os horários, mas principalmente no final da tarde e início da noite. Eles roubam e fogem pelas escadarias. Ali somem e não tem o que fazer”, destacou um comerciante que trabalha na praia e que não quis se identificar.

Ele também lembrou que em quase 100% dos casos os criminosos estão armados e são maiores de idade. “Muita gente fala que quem rouba é menor, mas isso não é verdade. Quem rouba mais aqui é o pessoal maior de idade mesmo. Eles vêm com faca, revólver e já vimos até com metralhadora. Como eu já sei onde eles agem, eu sempre tento avisar aos banhistas para que eles evitem andar por ali e também para tomarem cuidado quando virem essas pessoas paradas nas escadarias”.

Segundo Luis Carlos, que além de trabalhar como vendedor ambulante no local há oito anos, também é frequentador da praia, a insegurança tem atrapalhado os negócios, já que o número de turistas em Ponta Negra está caindo. “Eu vendo meus produtos geralmente para os turistas e eles estão sempre reclamando da insegurança. Muitos relatam que foram assaltados ou conhecem alguém que já foi assaltado. Isso atrapalha muito, pois os turistas não vêm mais. Temos percebido que o movimento aqui não é mais como antigamente. Antes era mais seguro, uma praia que recebia bem os turistas, mas agora realmente está complicado”.

Quando a reportagem do Jornal de Hoje esteve no local, lá estava Pedro da Silva, que veio do Rio Grande do Sul junto com a família para passar férias em Natal. Ele conta que assim que chegou foi avisado dos perigos de Ponta Negra. “Realmente eu fui alertado para ficar atento. No hotel e aqui na praia me avisaram para tomar cuidado que muitos assaltos acontecem por aqui. Infelizmente a violência está em todo lugar. Lá fora, escutamos que Natal é uma cidade muito bonita, o que realmente ela é. Mas ninguém fala da insegurança. Quando chegamos aqui e recebemos esse tipo de informação é frustrante, pois cria um medo na gente”.

População prestes a reagir

Com tanta insegurança na região e sem nenhuma resposta por parte do poder público para melhorar essa situação, a população está quase “perdendo a paciência” e prestes a reagir por conta própria. “Infelizmente, toda essa insegurança já ficou tão rotineira e a impunidade é tão grande, que realmente a qualquer momento a população vai reagir. Cedo ou tarde vai acabar acontecendo como em outros lugares, a população reagindo, amarrando bandido em poste e fazendo justiça com as próprias mãos. O que só irá aumentar a insegurança, pois o cidadão de bem vai está colocando a vida em risco”, frisou Daniel Ferreira, de 28 anos e que trabalha na praia de Ponta Negra em uma empresa de Stand up Peddal, esporte também conhecido como SUP.

Daniel conta que trabalha no local há cerca de nove meses e que já presenciou diversos assaltos, o que fez com que ele passasse a conhecer a grande maioria dos marginais e tomasse uma decisão para conseguir continuar seu negócio “em paz”. “Eu já fui furtado. Dei bobeira e o cara levou algumas coisas, como máquina de cartão e cerca de R$ 500. Eu conheço 70% dos caras que roubam aqui na região. Muitas vezes eu concedo algumas cortesias para eles andarem no Stand up Peddal, assim eles me deixam tranqüilo. É aquela coisa, temos que tentar sobreviver na selva de leões, pois o Governo não faz nada”.

Assalto-na-escadaria-de-Ponta-Negra-HD-2

Segundo Daniel, uma das soluções para inibir a ação dos bandidos seria a instalação de um posto policial na região, principalmente no início das escadarias. “Aqui temos apenas dois policiais ambientais, mas eles não podem fazer muito e apenas nos dão uma ajuda quando alguma coisa acontece. Se tivesse um posto policial iria ajudar muito. Já pensaram em fechar as escadarias, mas isso só iria atrapalhar”, afirmou o empresário, que lembrou uma época que tentou reformar as escadarias para facilitar o acesso dos banhistas. “Me juntei com alguns comerciantes do local e começamos a reformar as escadarias. Porém, a população nos falou que isso só iria ajudar aos bandidos, pois ficaria mais fácil para eles roubarem e escaparem”.

O comandante geral da Polícia Militar do Rio Grande do Norte, coronel Francisco Araújo, afirmou que as obras em Ponta Negra têm atrapalhado a ação dos policiais. Além disso, aquela região de mata próxima ao Morro do Careca é de propriedade da Força Aérea. “Aquelas obras dificultam o acesso de carros e motos da polícia, e do pessoal a pé mesmo. Além disso, naquela região a iluminação é muito ruim, o que facilita a ação dos bandidos. A Polícia Ambiental fica por lá, até para impedir o acesso aos morros, que são de propriedade da Força Aérea”. A reportagem tentou contato com o Major Carlos Leão, comandante da Companhia Independente de Proteção Ambiental do RN, mas os celulares estavam desligados.

Má fama na internet

A violência constante na praia mais famosa da capital potiguar vem ganhando repercussão nacional. Fazendo uma rápida pesquisa na internet, é comum encontrar turistas contando as experiências assustadoras que tiveram na praia e aconselhando outras pessoas a não irem mais ao local. “Fui assaltado à mão armada no final da praia da Ponta Negra, juntamente com minha família (filhos pequenos). Não havia uma viatura no local. Fomos à Polícia Turística na via Costeira, onde fomos informados que há somente uma viatura para toda a região da Ponta Negra e que o local é perigoso mesmo, e que nós nem devíamos ter ido lá!!! Pena que ninguém avisou antes. Só restou o trauma. Outra turista do nosso hotel havia sido assaltada no mesmo dia, às 11 da manhã. O que será durante a Copa do Mundo. Natal nunca mais!!!”, disse um homem de Jundiaí, em São Paulo.

Já outro turista, identificado apenas como Francisco Sanches, classificou Natal como “linda, mas perigosa”. “Foi tudo perfeito até que um ato de violência interrompesse a magia da nossa viagem. Segunda-feira (16/09), 8 horas da manhã, costão da praia de Ponta Negra, com muitas pessoas circulando, fui assaltado e levaram tudo, máquina fotográfica, filmadora, celular, relógio. Dois marginais surgiram do nada, aparentemente escondendo armas. Mandaram ficar quieto e entregar tudo. Não reagi, fiz o que mandaram e no fim deu tudo certo. E fico feliz por ter tido essa reação, pois pesquisando no Google por assalto Natal, pode-se verificar a gravidade da situação. Se você está pensando em que cidade realizar a viagem dos sonhos, meu conselho, escolha outra, pois existem outras tão lindas quanto”.

Compartilhar: